PP vai brigar para continuar como vice de Wellington Dias

Senador Ciro Nogueira com o governador Wellington Dias Senador Ciro Nogueira com o governador Wellington DiasFoto: Assessoria/PP

Vai longe a polêmica sobre a composição da chapa majoritária, encabeçada pelo governador Wellington Dias, para as eleições de 7 de outubro de 2018. Ao contrário do que pensavam os peemedebistas, a candidatura de vice-governador ainda não está definida. Vai haver disputa e será indicado candidato aquele que estiver melhor nas pesquisas de opinião. Essa é a posição dos Progressistas, encabeçado pelo presidente do PP, senador Ciro Nogueira.

Em uma longa entrevista publicada no jornal O DIA, de Teresina, Ciro Nogueira lembrou a eleição para a prefeitura de Teresina, quando o PP cedeu a vaga de vice-prefeito ao PMDB, que indicou o ex-reitor da UFPI, Luiz Júnior.

“Nós temos o direito de indicar a vice porque temos a candidata, do mesmo jeito que o Wellington é candidato à reeleição, a Margarete também é candidata à reeleição. No próximo ano, que é o tempo correto, nós vamos definir o que é melhor para coligação, para a vitória do governador Wellington Dias. O importante nessa avaliação é a opinião dos partidos coligados, porque o Wellington não é candidato do PT só, é candidato da coligação; a opinião dos prefeitos e das lideranças que o apoiam, para ver o que a maioria quer; e, principalmente, a opinião do eleitor, quem que o eleitor quer que seja o candidato”, defendeu o senador.

Ciro Nogueira propõe a realização de pesquisas de opinião para avaliar a receptividade das candidaturas, antes do fechamento da chapa majoritária. Quem estiver melhor nas pesquisas, será o candidato.

“Isso será medido através de pesquisas, tanto qualitativas e quantitativas. Eu acho que os nomes que estão colocados, o nome da Margarete, que é uma mulher, primeira vez uma mulher assume a vaga e tem a sua importância pela história de vida e principalmente pela lealdade que ela tem pelo Governador, porque pode ter tido na história do Piauí um vice-governador tão leal como a Margarete, mas mais que ela não; e tem também o nome do presidente Themístocles, que é presidente de um grande partido, uma liderança expressiva, homem que tem uma história, foi vereador de Teresina, deputado estadual por várias vezes e é um nome a ser avaliado. Isso é mais que salutar, mas no tempo correto. Se o Themístocles for melhor do que a Margarete para eleição do Wellington, para viabilizar a eleição, o PP vai ceder, se isso foi fundamental para a vitória. Agora, se a Margarete for melhor, aí o PP jamais irá ceder essa vaga, porque é o correto. Ninguém em sã consciência vai definir em outro critério”, avaliou Ciro Nogueira

O senador entende que é direito de todos os partidos pleitearem seu espaço, inclusive na hora de compor a chapa. “Até porque nós só definimos, em acordo que os Progressistas e o PT fizeram, que os candidato certos seriam Wellington, se tivesse o direito de reeleição, e ele tem, e o senador Ciro Nogueira, que também está terminando seu mandato. Por que nós estivemos juntos em 2014 e essa foi a definição. O restante da chapa nós só iremos definir de acordo com os interesses da vitória desse projeto e dos coligados. Não tem lugar para todos os partidos em uma chapa. Agora, cabe ao governador, aos coligados, definir quem são os melhores candidatos na composição e, para o futuro, o governo prestigiar essas pessoas que foram tão importantes na campanha e que possam fazer parte desse projeto para que ele venha dar certo”, concluiu.

Comentários