Ciro negocia a paz entre Firmino e WDias de olho em 2018

WellingtoN Dias com Ciro Nogueira e Firmino Filho WellingtoN Dias com Ciro Nogueira e Firmino FilhoFoto: CCom/João Alberto

A missão é hercúlea, mas se depender do presidente nacional do Partido Progressista, senador Ciro Nogueira, vão estar juntos e fazendo campanha no mesmo palanque em 2018, o governador do Piauí Wellington Dias (PT) e o prefeito de Teresina, Firmino Filho (PSDB).

“Meu sonho é que os dois estivessem na mesma chapa, no mesmo palanque. Tentei ajudar nessa situação para que a gente evitasse esse embate. Mas, espero que aconteça um entendimento para que não prejudique a administração de Teresina”, advertiu.

Ciro Nogueira admite que o clima anda pesado entre o prefeito e outros partidos da base do governador Wellington Dias, principalmente o PMDB do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Themístocles Filho, depois da antecipação da eleição na Câmara Municipal de Teresina, que reelegeu o tucano Jeová Alencar para mais dois anos de mandato – 2019/2020.

Na volta da viagem à Espanha, Firmino Filho acusou abertamente o PMDB de tramar contra ele, na sua ausência. E demitiu dois afilhados do PMDB: o delegado James Guerra, da presidência da Fundação Wall Ferraz, e Ricardo Augusto do Rêgo Monteiro, da Superintendência de Desenvolvimento Rural (SDR).

“O prefeito é um amigo pessoal, uma pessoa muito próxima dos progressistas, inclusive, permitiu que a esposa [Luci Silveira], o [ex-prefeito de Teresina] Sílvio Mendes e o [ex-secretário de Planejamento] Washington Bonfim viessem para o partido. Mas, nós somos aliados do governador. Ainda vou conversar com o prefeito para saber como as coisas estão”, adiantou o senador.

Reunião no Palácio da Cidade
Reunião no Palácio da Cidade

Comentários