CORONAVÍRUS

Piauí registra mais 28 óbitos por Covid-19 e 598 novos casos da doença

O número de mortes saltou para 643. Outras 1.019 pessoas receberam alta médica


Cemitério do Renascença I em Teresina

Cemitério do Renascença I em Teresina Foto: Valciãn Calixto

Mais 28 pessoas morreram no Piauí nas últimas 24 boras em decorrência do novo coronavírus. Além disso, o Piauí registrou 595 novos casos. Agora, o número de casos é 19.753 e o de óbitos saltou para 643. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) na noite deste domingo (28).

Conforme o relatório da Sesapi, as novas confirmações de mortes aconteceram nos municípios de Barras, Bom Jesus, Campo Maior,  Castelo do Piauí, Colônia do Gurguéia, Joaquim Pires, José de Freitas, Luzilandia, Parnaíba, Picos, São João do Piauí, Teresina e União.  São 82 municípios com registros de óbitos no estado.

As vítimas são 19 pessoas do sexo masculino e nove do sexo feminino. Os homens são naturais de Barras ( 73 anos), Bom Jesus (70 anos) Campo Maior (70 e 94 anos), Castelo do Piauí ( 39 anos), Colônia do Gurguéia ( 32 anos), José de Freitas (77 anos) Luzilandia ( 72 anos), Picos ( 88 anos) São João do Piauí ( 87 anos) e Teresina ( 36, 45, 47, 50, 61, 70, 71, 76 e 82 anos).

Já as mulheres são de Joaquim Pires ( 83 anos), José de Freitas ( 91 anos ), Parnaíba ( 82 anos), Teresina ( 50, 54, 59, 82 e 83 anos) e União ( 67 anos).De todas as vítimas, apenas os homens  de 36 e 45 anos não possuíam doenças relacionadas.

Segundo o boletim, dos 595 casos confirmados da doença, são 289 mulheres e 306 homens, com idades que variam de cinco  meses a 90 anos. Antônio Almeida é o novo município a entrar na lista daqueles com casos confirmados. Agora, são 202 cidades piauienses atingidas pela pandemia, o que representa 90,18%.

Dos leitos existentes na rede de saúde do Piauí para atendimento à Covid-19, há 886 ocupados, sendo 551  leitos clínicos, 313 UTIs e 22 leitos de estabilização . As altas acumuladas somam 1019.

Fonte: Sesapi

Próxima notícia

Dê sua opinião: