CORONAVÍRUS

COE propõe a Wellington Dias e Dr. Pessoa a limitação da circulação de pessoas por 14 dias

Novas medidas são por conta do aumento na ocupação de leitos na capital


Coronavirus

Coronavirus Foto: Foto: Reprodução

O aumento da ocupação dos leitos de UTIs Covid durante o final de semana, acendeu o alerta no governo do estado e prefeitura de Teresina. Os integrantes do COE (Comitê de Operações Emergenciais) de Teresina e do estado recomendaram ao prefeito Dr. Pessoa (MDB) e ao governador do estado, Wellington Dias (PT) que sejam adotadas medidas para que se possa controlar a circulação de pessoas em Teresina e outras regiões do Piauí, com o intuito de diminuir o contágio e encolher o número de internações que encontram--se no limite.

Integrantes do COE classificaram a situação como crítica e fizeram uma séria de recomendações a Prefeitura e ao governo do estado, cerca de 27 itens foram analisados. Uma das medidas indicadas pelo comitê seria uma espécie de "toque de recolher", que já acontece em outros estados do Brasil. Na manhã de hoje o prefeito de Teresina e governador iriam se reunir para tratar das medidas restritivas, mas um familiar de Dr. Pessoa contraiu a Covid e foi encaminhado para Teresina em estado grave, o vice-prefeito Robert Rios vai representá-lo na reunião.

Veja mais:

>> Ocupação de leitos de UTI Covid ultrapassa 93% no final de semana em Teresina

>> Sesapi avalia transferência de pacientes do HEDA para ampliar leitos Covid em Parnaíba


Uma das propostas recomendada pelo COE é limitar a circulação de pessoas por um período de 14 dias para reduzir as internações, além de reduzir também o funcionamento do comércio, bares e restaurantes, além de cuidados do retorno as aulas. Gilberto Albuquerque admitiu que a Fundação Municipal de Saúde enfrenta dificuldades para abrir novas vagas de leitos de UTIs e que a prefeitura pode vir a adotar medidas restritivas, que poderão ser anunciadas ainda hoje.

Ele completou ainda que a situação é muito delicada e a ocupação hoje de UTI é de 92% em Teresina. Gilberto disse também que no momento não é possível ampliar os leitos, devido a falta de medicamentos necessários para esse setor, as autoridades da saúde reforçam o pedido de respeito ao distanciamento social, uso de máscaras e lavar as mãos e uso de álcool em gel.

Próxima notícia

Dê sua opinião: