MÃE

Casa da Gestante de Parnaíba já acolheu 227 mulheres em 2019

Na casa são acolhidas grávidas com complicações gestacionais de médio e alto risco.


Casa da Gestante

Casa da Gestante Foto: CCOM

A Casa da Gestante Bebê e Puérpera de Parnaíba acolheu, nos primeiros seis meses deste ano, 227 mulheres que receberam assistência durante a gestação e o período puérpero. Nos quase dois anos de funcionamento, o local já prestou assistência a quase mil grávidas. A unidade faz parte do programa Rede Cegonha da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi). 

No local são acolhidas mulheres grávidas com complicações gestacionais de médio e alto risco, mas que não necessitam ficar hospitalizadas. “Aqui, as gestantes contam com dez leitos e recebem os cuidados de uma equipe multidisciplinar formada por enfermeira, técnico de enfermagem, segurança policial, motorista e médico de sobreaviso, que presta toda a atenção necessária durante 24 horas por dia”, explica Adrízia Fontenele, diretora do Hospital Dirceu Arcoverde.

Além dos cuidados com a gestante, os recém-nascidos que necessitam de uma assistência diferenciada também recebem atendimento, nos dez leitos de Cuidados Intermediários Neonatal. “Nós realizamos um atendimento o bebê que comumente se chama de semi-uti”, lembra a diretora.

Em 2018, a Casa da Gestante Bebê e Puérpera de Paranaíba prestou atendimento a 578 mulheres e crianças. “Recebemos aqui grávidas e recém-nacisdos de toda a região do litoral e até de estados vizinhos como Ceará e Maranhão”, acrescenta Adrízia Fontenele.

Além de Parnaíba, o Governo do Piauí, por meio da Secretaria de Estado da Saúde, oferece essa rede de cuidado às mulheres piauienses na Maternidade Dona Evangelina Rosa, em Teresina, e no Hospital Regional Tibério Nunes, em Floriano.

 

Fonte: CCOM

Próxima notícia

Dê sua opinião: