EVENTO

Primeiro dia do Encontro Estadual de Bancários e Financiários do Piauí discute conjuntura

De acordo com Juvandia Moreira, as entidades representativas e os bancários devem estar unidos para garantir a renovação do acordo coletivo


Evento

Evento Foto: Divulgação

O  sindicato dos Bancários do Piauí (SEEBF/PI) iniciou na noite desta sexta-feira (26) o XXXV Encontro Estadual de Bancários e Financiários do Estado do Piauí. Por causa da pandemia, essa é a primeira vez que o evento é realizado virtualmente e teve 130 inscritos.

No início da programação, o presidente do SEEBF/PI, Odaly Medeiros, pontuou que 29 bancários no Brasil foram a óbito por causa do Coronavírus, assim todos fizeram um minuto de silêncio em respeito às vítimas da doença. Ainda na abertura, os diretores e representantes dos bancos ressaltaram alguns pontos importantes a serem discutidos na classe bancária, além do presidente da CUT/PI, Paulo Bezerra e a presidente da Contraf-CUT, Juvandia Moreira.

De acordo com Juvandia Moreira, as entidades representativas e os bancários devem estar unidos para garantir a renovação do acordo coletivo. "Vamos lutar para garantir a democracia, sem movimento sindical não temos direitos", pontuou a presidente da Contraf –CUT.

O Encontro contou com a participação do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), por meio da técnica Mariel Lopes, que explanou sobre a conjuntura economia, mercado de trabalho, setor financeiro, tecnologia bancária, medidas governamentais e como será a negociação coletiva em 2020. 

"Nos últimos meses a situação econômica está passando por uma reconfiguração, onde estamos passando por um momento incerto, é necessário debater a conjuntura econômica para a negociação coletiva. O impacto de longo prazo da pandemia sobre a atividade econômica vai ser determinante para as negociações com entidades patrimoniais ", ressaltou Mariel Lopes.

A técnica da Dieese ainda levou alguns dados importantes, como 11,4% (10,9 milhões) da população brasileira é considerada "desocupados" segundo PNAD no Brasil (maio/2020). Já no setor bancário, os cinco maiores bancos do país fecharam 943 agências em doze meses.

Para encerrar a programação do primeiro dia do Encontro, o presidente Odaly Medeiros destacou a importância de lutar pelos direitos. "O nosso foco principal é defender incessantemente a nossa classe de trabalhadores bancários e agora com a pandemia, defender em primeiro lugar a vida", destacou Odaly.

O presidente ainda convocou os bancários para o segundo dia, que será decisivo, pois terá a escolha dos delegados para participarem da Conferencia da Fetrafi NE, para o Congressos dos Bancos Públicos e para a Conferência Nacional dos Bancários. 

Fonte: Leal Comunicação

Próxima notícia

Dê sua opinião: