GATO

Greco prende três funcionários da Cepisa na zona Sul de Teresina

Um dos fiscais estava furtando energia elétrica e foi preso em flagrante


Grupo de Repressão ao Crime Organizado (GRECO)

Grupo de Repressão ao Crime Organizado (GRECO) Foto: Reprodução

O Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), prendeu três funcionários da Cepisa nessa terça-feira (18), em Teresina. Os funcionários são fiscais da empresa e responsáveis por coibir as ligações irregulares de energia elétrica, mais conhecidas como 'gatos'.

De acordo com o delegado Laércio Batista, um dos funcionários foi preso em flagrante dentro de casa, no bairro Parque Piauí, zona Sul de Teresina, por furto qualificado. O medidor da casa do suspeito era fraudado. Já os outros dois fiscais foram presos por prevaricação, pois sabiam sobre a fraude no medidor da casa do colega de trabalho, mas deixaram de realizar a autuação e ainda emitiam um laudo informando que o medidor era normal.

O fiscal preso por furto qualificado também foi autuado por falsidade ideológica, pois assinou uns papéis do procedimento como se fosse a esposa. 

O flagrante ocorreu na residência de um dos funcionários no bairro Parque Piauí, na zona Sul de Teresina, que também foi autuado por falsidade ideológica. O funcionário passou a ser monitorado no ano passado quando a Cepisa suspeitou que consumo de energia na casa dele era incompatível com o valor dos talões,

Os funcionários presos tiveram os nomes revelados. O preso por furto qualificado vai passar por audiência de custódia nesta quarta-feira (19), já os outros dois foram ouvidos e liberados após a autuação.

A Equatorial Energia Piauí enviou nota ao PIAUIHOJE.COM sobre o caso:

"A Equatorial Energia Piauí informa que, ao tomar conhecimento de suspeita de furto de energia contra colaborador, terceirizado, formalizou notícia-crime junto à Polícia Civil. No final da tarde de ontem (18), em operação conduzida pelo Grupo de Repressão ao Crime Organizado (GRECO), o colaborador foi preso em flagrante depois de constatada a irregularidade no equipamento de medição do seu domicílio. No momento da prisão, ele denunciou a participação de dois colaboradores, contratados de empresa prestadora de serviços à distribuidora, que também foram detidos na ação policial. A Empresa esclarece que tem acompanhado as investigações da Polícia e que já solicitou o desligamento por justa causa dos colaboradores envolvidos. A Equatorial Energia Piauí faz valer um rígido código de ética para seus colaboradores próprios e terceirizados e não compactua em nenhuma hipótese com práticas como a que levou essas três pessoas à prisão. A Concessionária ressalta que o furto de energia é um crime, previsto no Código Penal brasileiro, que prejudica a toda a sociedade, impactando na qualidade e na segurança do fornecimento de energia elétrica, além de comprometer a arrecadação de impostos que poderiam ser aplicados em áreas essenciais como saúde e educação".


Fonte: Greco

Próxima notícia

Dê sua opinião: