Limma diz que governo trabalha para melhorar a gestão

Ainda no texto aprovado pelos deputados, ficou mantida a Coordenadoria do Idoso.


Deputado estadual Francisco Limma (PT)

Deputado estadual Francisco Limma (PT) Foto: Paulo Pincel

Foi aprovada, nesta terça-feira (26), no plenário da Assembleia Legislativa do Piauí, a proposta de Reforma Administrativa, encaminhada em fevereiro pelo governador Wellington Dias. O objetivo da nova estrutura administrativa, segundo o deputado estadual Francisco Limma, líder do governo na Alepi, é a eficiência para enfrentar a crise econômica nacional, permitindo que o Executivo estadual continue a prestar os serviços prioritários para a população e manter os investimentos.

Vinte e oito deputados votaram a favor das mensagens do Poder Executivo, que receberam quatro emendas apresentadas pelos parlamentares estaduais e foram aprovadas com apoio da oposição. Uma das emendas foi apresentada pelo líder governista, deputado Francisco Limma, que solicitou a permanência dos cargos dos supervisores das escolas do Estado. No texto enviado à Alepi, este cargo seria extinto.

"Entendemos que as escolas Piauí não podem ficar sem este profissional e solicitamos emenda na mensagem que dizia respeito à secretaria de Educação para que a função de supervisor não fosse extinta com a reforma administrativa", pontuou Francisco Limma.

Ainda no texto aprovado pelos deputados, ficou mantida a Coordenadoria do Idoso. Outra medida da reforma aprovada foi a Proposta de Emenda Constitucional 01/2019, que revoga o artigo 256 da Constituição Estadual extinguindo a Fundação Centro de Pesquisas Econômicas e Sociais do Piauí (Cepro), que passa a ter suas atividades anexadas à Secretaria de Planejamento.

De acordo com o deputado Francisco Limma, "a aprovação da Reforma Administrativa na Alepi é a nossa forma de, enquanto deputados e representantes do povo, contribuir para que o Executivo possa gerir melhor a estrutura do Estado, resultando no melhor funcionamento da máquina administrativa", conclui.

Ainda esta semana, a reforma deve ser assinada pelo governador Wellington Dias.

Fonte: R2

Próxima notícia

Dê sua opinião: