DISCURSO

Dudu crítica PMT de retirar direito de professores de participarem de assembléia

O Projeto de Lei de autoria da Prefeitura tramitou na Casa Legislativa em regime de urgência e foi aprovado pelos vereadores


Vereador Dudu do PT

Vereador Dudu do PT Foto: Assessoria

O vereador Dudu (PT) criticou duramente a Câmara Municipal de Teresina (CMT) por aprovar o Projeto de Lei de autoria da Prefeitura de Teresina (PMT) que altera o artigo 26 Lei da Lei 2.972/2001. O documento retira o direto dos professores de participarem anualmente de até seis assembleias sem que a gestão municipal contabilize as faltas dos servidores. Algo que é estabelecido pelo Estatuto do Magistério.                               

Dudu afirma que essa foi mais uma manobra da Prefeitura para calar a principal forma de diálogo da categoria. "A atitude da prefeitura só demonstra que o objetivo é diminuir a organização dos trabalhadores e tirar um direito conquistado pela categoria a duras penas. É obvio que a medida da gestão municipal não é para dar um salto de qualidade no ensino. Se afirmam que a educação pública do município é a melhor do Brasil por que estão querendo modificar algo que vem dando certo? É claro que existem interesses de calar e deixar os servidores sem a sua principal ferramenta de organização que é o direito de participar das assembleias", criticou o vereador Dudu

O Projeto de Lei de autoria da Prefeitura tramitou na Casa Legislativa em regime de urgência e foi aprovado pelos vereadores em primeira e segunda votação.   

O presidente do Sindicato dos Servidores Municipais, Sinésio Soares, fala que as atitudes da gestão municipal sempre são contra os servidores. "O prefeito vive de atacar os servidores da educação e além disso não concede o reajuste que é previsto em lei para a nossa categoria. A gestão ainda faz com que os professores não tenham mais o direito de participar das assembleias para discutir melhorias e os rombos na educação de Teresina", disse Sinésio Soares.    

Fonte: Icone Noticias

Próxima notícia

Dê sua opinião: