DUDU

Audiência pública na Câmara de Teresina vai discutir situação de venezuelanos

O requerimento é do vereador Dudu (PT), para que sejam discutidas as questões referentes aos imigrantes em Teresina


Venezuelanos pedem esmola em Teresina

Venezuelanos pedem esmola em Teresina Foto: Paulo Pincel


A Câmara Municipal de Teresina aprovou requerimento do vereador Dudu (PT) para a realização de uma audiência pública a fim de discutir questões referentes à imigração de venezuelanos para Teresina. Devido aos recentes conflitos registrados no país vizinho, cerca de 200 imigrantes chegaram a capital piauiense nos últimos dias.


Para Dudu, é necessário ter um controle do número real de imigrantes para que assim sejam desenvolvidas ações com o objetivo de acolher os venezuelanos. “Teresina é uma cidade bastante acolhedora e estamos vivenciando a chegada de refugiados que estão saindo de seu pais de origem por causa de conflitos e guerras. Sabemos que no meio da triste situação os que mais padecem são as crianças e as mulheres. Nossa cidade está recebendo um grupo grande de imigrantes e é fundamental que a gente tenha um controle da quantidade de pessoas para que assim seja possível ajudá-los”, disse o vereador.

A data da audiência ainda não foi definida, mas irá contar com a participação de representantes de órgãos como a Polícia Federal (órgão que controla a imigração), Ministério Público Federal (MPF), Secretaria de Assistência Social, OAB-PI, Fundação Municipal de Saúde (FMS), imigrantes e sociedade em geral.

“Algumas pessoas se mobilizaram e levaram comida aos imigrantes, porém devido a cultura bem diferente, eles acabaram jogando os alimentos fora. A Câmara de Vereadores precisa promover a audiência, pois somente assim vamos ter um real controle da situação. A gente sabe das dificuldades e não podemos colocar a responsabilidade na conta do município. Temos que dividir essas responsabilidades e a audiência pública tem esse caráter. Assim, vamos convocar todos os órgãos competentes e fazer um bom debate para encontrar soluções para a situação”, afirmou o parlamentar.

Fonte: Com informações da Assessoria Parlamentar

Próxima notícia

Dê sua opinião: