APREENSÃO

PRF apreende cargas de cigarros contrabandeados avaliadas em mais de R$ 1 milhão no Piauí

No total, foram apreendidos 437 mil maços de cigarros contrabandeados


PRF apreende mais de  137 mil maços de cigarros contrabandeados

PRF apreende mais de 137 mil maços de cigarros contrabandeados Foto: Divulgação

Policiais rodoviários federais apreenderam duas cargas de cigarros contrabandeados no Piauí nessa quinta-feira (16). A primeira carga foi apreendida na BR 230,  em Oeiras, onde foram apreendidos mais de 300 mil maços. Já a segunda apreensão foi na BR 316, em Teresina, e a carga continha mais de 137 mil maços de cigarros. As duas cargas somam mais de R$ 1 milhão. 

Na tarde dessa quinta-feira, policiais rodoviários abordaram um caminhão na BR 230 em Oeiras e o motorista desobedeceu a ordem de Parada. Após a perseguição, o caminhão chegou a sair da pista, parou e o motorista tentou fugir a pé, mas foi alcançado.

A equipe realizou uma vistoria no veículo de carga e encontraram 300 mil maços de cigarro. A carga foi avaliada em mais de R$ 1 milhão. O motorista foi preso em flagrante.


Já em Teresina, os policiais abordaram o caminhão durante uma fiscalização na noite de ontem e perceberam que o motorista apresentava nervosismo, além de entrar em contradição. Os agentes decidiram fiscalizar a carga que ele transportava e encontraram 137.470 maços contrabandeados transportados no fundo falso do veículo. 

A carga de cigarros está avaliada em R$ 481 mil e não possui autorização da Anvisa para comercialização no Brasil.  O condutor afirmou que tinha consciência da ilicitude do carregamento e afirmou que receberia R$ 2 mil para entregar a mercadoria para uma pessoa em Teresina.  Ele foi preso em flagrante e encaminhado à Polícia Federal para os procedimentos legais cabíveis. O homem deverá responder pelo crime de Contrabando. 

Preso no conjunto Pedro Balzi membro de facção acusado de três homicídios

Nove já foram presos em 361 abordagens contra roubos nas estações de ônibus

Fonte: PRF

Próxima notícia

Dê sua opinião: