Cabo da PM mata apoiador de Bolsonaro que desfilou exibindo pistola durante carreata em Piracuruca

O acusado é o militar Neto Tertulino que já se apresentou e está preso


Rodrigo Magalhães exibiu a arma no domingo

Rodrigo Magalhães exibiu a arma no domingo Foto: Montagem/Paulo Pincel

Rodrigo Magalhães, 29 anos, de São Paulo, foi morto na tarde desta segunda-feira (29),  na avenida Coronel Pedro de Brito, bairro Esplanada, em Piracuruca, a 196 Km ao Norte de Teresina. O acusado do crime é um policial militar, identificado como Neto Tertulino, após provocações no WhatsApp. O PM já se apresentou e está preso. Segundo a Polícia Civil, Rodrigo foi morto durante uma abordagem da Polícia Militar.

Rodrigo postou várias fotos nas redes sociais exibindo uma pistola. Ontem, ele andava armado dirigindo um Fiat Punto vermelho, placas FKI-1558, com o adesivo de Bolsonaro no vidro traseiro. Rodrigo exibia a arma durante a carreata da vitória de Jair Bolsonaro (PSL) na cidade de Piracuruca.

Segundo as primeiras informações da polícia, Rodrigo desafiou os policias nas redes sociais e foi ao quartel exibindo a arma, quando foi perseguido. A vítima teria descido do carro e apontado a arma para os policiais. Neto Tertuliano disparou três vezes e acertou dois tiros no peito de Rodrigo, que morreu no local, ao lado do carro.

“O policial militar teve foi sorte, ele desceu do carro para atirar, estava com uma 12, se não fosse isso, ele tinha matado o policial”, contou uma testemunha.

Rodrigo Magalhães exibe a pistola durante a carreata de Bolsonaro
Rodrigo Magalhães exibe a pistola durante a carreata de Bolsonaro em Piracuruca             Foto: Reprodução/WhatsApp

O tenente-coronel Erisvaldo Viana, comandante do 12º Batalhão da Polícia Militar de Piripiri, adiantou que o policial militar agiu em legítima defesa.

"Esse rapaz estava ontem na carreata do Bolsonaro exibindo arma de fogo. Ele começou a ameaçar os policiais que estavam lá e ameaçou esse cabo em um grupo que eles participavam. O policial conversou com ele, pediu para ele se apresentar e o rapaz o ameaçou”, explicou o comandante.

O tenente-coronel Erisvaldo Viana acrescentou que o cabo foi ao quartel requisitar uma guarnição para prender Rodrigo Magalhães e foi seguido por ele. “Quando o policial viu que o rapaz estava armado, verbalizou com ele para que entregasse a arma e o mesmo não entregou, saiu com a arma em punho para cima do PM e o cabo, em legítima defesa, acabou efetuando três disparos", acrescentou o tenente-coronel.

Fonte: PM-PI

Próxima notícia

Dê sua opinião: