PERVERSIDADE

Escrivã passa mal com a frieza do assassino de adolescente durante depoimento

Delegada Betânia Prazeres vai encaminhar inquérito à juíza Elfrida Costa nesta quinta-feira (18)


O assassino frio e a vítima indefesa de um crime bárbaro

O assassino frio e a vítima indefesa de um crime bárbaro Foto: Montagem/DHPP/Arquivo pessoal

O adolescente R.B.F.C , assassino confesso de Ítalo Rodrigo do Nascimento, 16 anos, de quem era colega de escola e que foi executado com requintes de crueldade na terça-feira (16), prestou depoimento por mais de uma hora nesta quarta-feira (17) à delegada Betânia Prazeres na Delegacia do Menor Infrator, no Complexo da Defesa da Cidadania, no bairro Redenção, em Teresina. A indignação tomou conta da sala de interrogatório.

A frieza com que o assassino revelou os detalhes do crime provocou desconforto até de quem já está acostumado a ouvir relatos de outros crimes bárbaros. O jovem sorria enquanto descrevia os detalhes de como matou o colega de escola.  A escrivã, que fazia a anotação do depoimento, teve que deixar a sala passando mal. E o depoimento foi interrompido. Mais tarde, com a escrivã recuperada, o menor continuou a depor e a fazer revelações escabrosas. 

R.B.F.C contou que pensou a arrancar o coração de Itálo Rodrigo para dar de presente a uma jovem com quem conversava no Whatsaap. Seria uma “prova de amor”.  

Durante o interrogatório, R.B.F.C. confessou ter vontade de assassinar a irmã e fazer outras vítimas, assumindo uma compulsão em matar, inclusive teria pedido aos pais para se tratar.

O rapaz também revelou, ontem (16), em depoimento do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) depois de ser preso na casa da avó, que pretendia fazer um atentado na escola onde estuda para matar mais gente.

Justiça

O inquérito sobre a execução de Ítalo Rodrigo será encaminhado nesta quinta-feira (18) à juíza Elfrida Costa, da 2ª vara da Infância e da Juventude. A magistrada poderá pedir exame de sanidade mental do jovem.

Sem chance de defesa  

O corpo de Ítalo Rodrigo do Nascimento, 16 anos, foi encontrado com as mãos amarradas e com os olhos vendados. No pescoço, havia um corte profundo na parte de trás da nuca, o que comprova a covardia do assassino, que matou a vítima pelas costas.


Fonte: DHPP

Próxima notícia

Dê sua opinião: