Acusado de matar funcionário do Carvalho é julgado hoje

Sidvaldo foi morto a tiros dentro do supermercado onde trabalhava, no bairro Dirceu


Dorival Almeida matou Sidivaldo Soares por ciúme da ex-mulher

Dorival Almeida matou Sidivaldo Soares por ciúme da ex-mulher Foto: Montagem/Paulo Pincel

Acontece nesta segunda-feira (29), a audiência de instrução e julgamento no Tribunal do Júri de Dorival Ferreira de Almeida, apontado como assassino do funcionário do Comercial Carvalho Sidvaldo Bacelar, morto a tiros no ano de 2017. O crime ocorreu dentro do estabelecimento, no bairro Dirceu Arcoverde, zona Sudeste de Teresina.  A audiência é presidida pelo juiz Antônio de Reis Nolleto, titular da 1ª Vara do Tribunal do Júri do Piauí.

Sete testemunhas de acusação e seis de defesa devem depor ainda hoje no julgamento. A ex-esposa de Dorival será uma das testemunhas de acusação. Na época do crime ela também seria morta por ele.

Segundo o diretor do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoas (DHPP), Francisco Costa, o Barêtta, Dorival ligou para a ex-mulher, que também trabalha no supermercado, antes de matar Sidvaldo. Ele teria dito para a ex-mulher descer para conversar, mas ela recusou e por isso não acabou morta.

No dia 2 de janeiro de 2017, o suspeito flagrou a ex-mulher num motel com a vítima, no Dirceu. Desde então ele passou a premeditar o crime e comprou um revólver no dia 8 de janeiro. No dia 17 de julho de 2017, Dorival foi até o supermercado e fingiu ser cliente, pegando alguns produtos, e quando avistou o funcionário efetuou os disparos contra a vítima, que morreu no local. Imagens do circuito interno de segurança do supermercado mostram o momento do crime.

Fonte: Redação Piauí Hoje

Próxima notícia

Dê sua opinião: