;

Polícia investiga indícios de crimes por trás de “golpe político” em cidade do Norte do Piauí

Vereadores e ex-prefeito são os principais alvos de uma nova série de investigações; até a Polícia Federal será acionada


O ex-prefeito Ronaldo Lages em uma das vezes que esteve numa delegacia

O ex-prefeito Ronaldo Lages em uma das vezes que esteve numa delegacia Foto: G1 Piauí

A Polícia Civil (PC) e o Ministério Público Estadual (MPE) iniciam nesta segunda-feira (27.05) uma nova fase de investigações sobre os indícios de vários crimes que estariam por trás da trama que resultou na aprovação do impeachment do prefeito de Nossa Senhora dos Remédios, Manoel de Jesus Silva, mais conhecido como Manoel Lázaro (PT).

Se os investigadores conseguirem as provas de que precisam, gente que se diz poderosa e importante em Nossa Senhora dos Remédios e em outras cidades do Norte do Piauí vai parar na cadeia.

(Vídeo: Reprodução Facebook/Francisco Barbosa)

Os vereadores Júnior Jabarão e Antônio Matias, o "Mirim", e o ex-prefeito Ronaldo Castelo Branco Lages são os principais alvos nesta nova fase das investigações, aberta a partir de Boletim de Ocorrência (B.O), registrado por Manoel Lázaro, na Delegacia Geral da Polícia Civil do Piauí, após invasão do condomínio onde tem uma casa em Teresina.

Policiais e membros do MPE também vão aproveitar as diligências e depoimentos para investigar indícios de vários outros crimes que estariam ocorrendo naquela região. Há notícias de corrupção, extorsão, falsidade ideológica, tráfico de drogas e de armas, além de roubos de carros, cargas, motos e gado bovino.

Neste sábado (25.05), um experiente e respeitado policial da Delegacia Geral confirmou à reportagem do Portal Piauí Hoje (www.piauihoje.com) que serão abertos pelos menos quatro inquéritos. A Polícia vai pedir a quebra dos sigilos bancários e telefônicos de todos os suspeitos.

De acordo com o policial, com as informações que já estão em poder da Polícia é possível dizer que existe um grande esquema, "algo maior, mais grave e perigoso" por trás da trama organizada para a Câmara aprovar o impeachment do prefeito Manoel Lázaro(PT).

Prefeito Manoel Lázaro

O impeachment do prefeito Manoel Lázaro (foto acima) pode acabar na descoberta de vários crimes na região de Nossa Senhora dos Remédios

O IMPEACHMENT - O pedido do impeachment foi aprovado na noite de 16 de maio de 2019, um dia após a renúncia da vice-prefeita, Luana Lages, filha do ex-prefeito e policial civil Ronaldo Lages. O prefeito estava em viagem a Teresina para audiências com secretários, deputados e outras autoridades. 

A Sessão da Câmara de Nossa Senhora dos Remédios no dia 16 deste mês nem tinha como ocorrer, porque a cidade, localizada a 170 quilômetros ao Norte de Teresina, estava sem energia elétrica. Mas isso não foi problema. Ronaldo Lages e seus amigos cuidaram de arrumar um gerador de energia movido a óleo diesel para que os vereadores votassem o impeachment de Manoel Lázaro.

Os  prefeito é acusado de descumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) no que diz respeito aos gastos com pessoal. Mas essa situação não atinge só a Prefeitura de Nossa Senhora dos Remédios. No Piauí, atualmente, quase metade dos municípios já ultrapassou os limites da LRF. Uma das causas é a grave crise política e econômica que o país vive.

Os vereadores Júnior Jabarão e Mirim estão na mira dos investigadoresIMPEACHMENT REVELA INTERESSES ESCUSOS - Mas as investigações, apenas em início, já apontam que há outros interesses por trás do impeachment de Manoel Lázaro. Ficou claro que, por conta do controle da maioria dos vereadores, o ex-prefeito Ronaldo Lages tramou o golpe. Milhares de reais estariam em jogo com desfecho final da trama.

Para os investigadores, uma prova disso é fato do ex-prefeito ter obrigado a própria filha a renunciar ao cargo de vice-prefeita para que, com a cassação do prefeito, o vereador Francisco das Chagas do Carmo Junior, o "Júnior do Jabarão", do PR, presidente da Câmara, assuma a Prefeitura e Ronaldo retorne a um comando paralelo do município.

OUTRAS SUSPEITAS - O impeachment fez surgir várias suspeitas e outro aspecto que chamou atenção da Polícia foi o fato do afastamento do prefeito ter sido aprovado poucos dias após uma grande operação policial em Nossa Senhora dos Remédios e cidades próximas.

Durante a operação naquela área foram presos vários acusados de tráfico de armas e drogas e de roubo de carros, motos e de gado. Alguns dos presos andaram falando com os investigadores e revelaram quem manda naquele "pedaço" do Norte do Piauí.

ILEGALIDADE E OUSADIA - Por causa da "ousadia" do ex-prefeito Ronaldo Lages o caso foi parar na Delegacia Geral da Polícia Civil do Piauí. Foi após a divulgação de um vídeo que viralizou nas redes sociais. Nele, Lages aparece tramando a consumação do golpe contra o prefeito Manoel Lázaro (PT).

Depois que dois vereadores que apoiavam o prefeito mudaram-se repentinamente para oposição e ajudaram no "golpe", Ronaldo se encarregou de fazer "diligências", passando-se por "oficial de justiça", para localizar e notificar o prefeito em uma casa em Teresina.

Nas imagens, Ronaldo Lages é visto chegando ao condomínio Santa Helena, na Morada do Sol, Zona Leste de Teresina, acompanhado de Junior do Jabarão e do também vereador Antônio Matias Roseno, o "Mirim", do PTB. No mesmo vídeo, já em poder da Polícia, ouve-se a voz do próprio Ronaldo Lages dando as ordens e, ao mesmo tempo, fazendo as imagens.

Parece que o ex-prefeito Ronaldo adora se meter em confusão

FICHA CORRIDA - O ex-prefeito Ronaldo Lages é tido como violento e fanfarrão. Amparado na impunidade, faz ameaças, calunia desafetos e desacata autoridades. Já foi condenado e preso algumas vezes por esses e outros crimes, como o do acidente que ele provocou e que resultou na morte da biomédica Joysa Ribeiro, em 2013.

O policial civil também já tem outra condenação e estave preso sob acusações de porte ilegal de arma e disparo em via pública. Também já foi condenado por improbidade administrativa. Ainda há contra ele uma condenação de mais de três anos de prisão a ser cumprida, em regime fechado, mas que está aguardando decisão final do Tribunal de Justiça.

TRABALHO SIGILOSO - A abertura de inquéritos já foi confirmada. O comando das investigações ficará a cargo do delegado geral, Luccy Keiko, mas também participaram dos trabalhos delegados e policiais do Grupo de Combate ao Crime Organizado, além do pessoal do serviço de inteligência das polícias Civil e Militar. A Polícia Federal também poderá ser acionada para ajudar nas investigações.

O secretário estadual da Segurança Pública, deputado federal Fábio Abreu, foi procurado por nossa reportagem, mas disse que não pode adiantar nada. Ele limitou-se a dizer que "está tudo sendo apurado pela Justiça e Corregedoria" da Polícia Civil.

A reportagem não consegui contato com os vereadores Júnior do Jabarão e Mirim, e nem com o prefeito Manoel Lázaro e com o ex-prefeito Ronaldo Lages. Porém, o espaço está aberto para suas versões sobre o caso.

Fonte: Polícia Civil

Próxima notícia

Dê sua opinião: