ALERTA

Piauí já tem 800 famílias atingidas pelas chuvas e 300 desabrigadas

Em Barras, famílias de cinco bairros tiveram que deixar suas casas devido ao alagamento


Ruas do bairro Xique-Xique, em Barras, estão alagadas

Ruas do bairro Xique-Xique, em Barras, estão alagadas Foto: Imagem enviada ao Piauí Hoje

As fortes chuvas que atingiram o Piauí nos últimos dias já deixaram quase mil famílias desabrigadas no Estado. A região Norte é a mais afeta, onde os rios Marataoan e Longá atingiram a cota de inundação. Em Barras e Piripiri, os prefeitos já decretaram estado de emergência. O número de famílias desabrigadas chegou a 300.

Em Barras, a 119 km de Teresina, o aumento do nível do rio Marataoan fez com que muitas famílias saíssem de suas residência. O bairro Xique-Xique, que é próximo ao Centro da cidade, é um dos mais afetados. Até a noite de ontem (11), havia 50 famílias desabrigadas em cinco bairros que ficam na parte mais baixa da cidade. O prefeito da cidade, Carlos Monte, informou que algumas pessoas foram para casas de parentes e outras estão acolhidas em prédios públicos, que funcionam como abrigos provisórios.

Bairro Xique-Xique

Em Piripiri,  o prefeito Luiz Menezes decretou situação de emergência no dia 07 após uma forte chuva na noite anterior que causou inúmeros estragos. Houve rompimento de estrada, desabamento de casas e uma mulher morreu ao ter seu carro arrastado pela força da chuva.  O município tem 26 famílias acolhidas em abrigos mantidos pela Prefeitura e outras em casa de parentes. Ao todo, 400 famílias foram atingidas e estão em área de risco em Piripiri.

Rodovia se rompeu em Piripiri 

A situação de Esperantina também é delicada. Na tarde de ontem (11), a prefeita Vilma Amorim disse que o último relatório apontou que 137 famílias desabrigadas, o que soma 433 famílias sem abrigo no total. O rio Longá continua a elevar seu nível mesmo sem registro de chuvas na região nesses últimos dias.

Em Batalha, 30 famílias da zona rural estão desabrigadas e duas localidades do município estão isoladas porque a ponte que dá acesso à cidade caiu. Agora os moradores precisam utilizar canoa para entrar ou sair nas localidades. 

Próxima notícia

Dê sua opinião: