SANTA CRUZ DOS MILAGRES

Com cheia do rio São Nicolau, moradores fazem travessias perigosas

Os moradores do povoado Alto Bonito sofrem todos os anos quando o riacho corta as estradas


Moradores levam motos em canoa em Santa Cruz dos Milagres

Moradores levam motos em canoa em Santa Cruz dos Milagres Foto: Print do vídeo

Com as últimas chuvas, o rio São Nicolau, no município de Santa Cruz dos Milagres, a 180 km de Teresina, transbordou e afetou os moradores da zona rural e urbana da cidade. No povoado Alto Bonito, a 12 km da zona urbana, os moradores estão sofrendo com as cheias dos riachos que já cortam as estradas. Os moradores também se arriscam transportando motocicletas em uma canoa pequena.

Em denúncia ao Piauí Hoje, moradores relatam que o problema no povoado Alto Bonito, onde moram 30 famílias, é antigo e eles cobram da Prefeitura de Santa Cruz dos Milagres a construção de uma ponte. 

A moradora do município, Elem Assis, está preocupada com a situação porque seus pais moram no povoado Alto Bonito, que pode ficar isolado com o transbordamento do riacho. "A prefeitura do município não toma de conta, não faz ponte e nem nada. Todo ano o riacho transborda e já aconteceu dois casos de pessoas que estavam doentes, passando mal, e precisaram ser socorridas para a sede do município. Não teve como os veículos fazer a travessia dos riachos 

"No povoado Alto Bonito  já aconteceu dois casos onde 2 pessoas estavam doentes passando mal e pra serem socorridas foram trazidas pra sede do município para o posto de saúde na rede. Porque não teve como veículos fazer a travessia dos riachos", diz Elem.

Picape faz travessia de moradores do povoado 


Já na zona urbana de Santa Cruz dos Milagres, o rio São Nicolau transbordou e as águas invadiram as ruas da cidade, chegando a derrubar muros de residências próximas ao rio, no Centro e no bairro Galileia. Na estrada que dá acesso a cidade de São João da Serra só é possível atravessar de canoa. Os moradores se arriscam e levam até as motocicletas na embarcação, correndo sério riscos.


Próxima notícia

Dê sua opinião: