REMÉDIO

Simesp repudia corte do Ministério da Saúde na fabricação medicamentos

Pacientes com câncer, diabetes e transplantados deverão ser prejudicados


Medicamentos/Imagem ilustrativa

Medicamentos/Imagem ilustrativa Foto: Google

Mais de 30 milhões de pacientes que dependem de medicamentos do Sistema Único de Saúde (SUS) terão a fabricação de medicamentos essenciais para a sua saúde suspensa. Isso porque o Ministério da Saúde (MS) decidiu encerrar contratos com laboratórios produzem 19 medicamentos disponibilizados no SUS para pacientes com em tratamento de câncer, diabetes e transplantados.

O Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp) repudia a atitude do MS, já que os laboratórios que fabricam os medicamentos são públicos e federais, fornecendo os fármacos a preços 30% menores do que os do mercado. Com o cancelamento dos contratos, não há garantias de que os pacientes terão suas demandas por medicamentos atendidas. Os cortes não podem custar a vida das pessoas.

Fonte: Simesp

Próxima notícia

Dê sua opinião: