Setut diz que motoristas impedem saída de ônibus das garagens

O Setut diz que o Sintetro não está cumprindo a Lei de Greve que determina 30% dos serviços funcionem


Ônibus em Teresina

Ônibus em Teresina Foto: Alinny Maria

O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (SETUT) solicitou ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT), o aumento da frota em circulação a fim de reduzir os contratempos para a população durante a greve dos motoristas e cobradores que completa dois dias nesta terça-feira (5).

 De acordo com o Setut, o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários do Piauí (Sintetro), não está cumprindo a Lei de Greve, que determina que 30% dos serviços funcionem para atender a população.

 O Setut acusa ainda os grevistas de fazerem piquetes nos portões de todas as garagens de transporte público para impedir a saída dos veículos e impossibilitando que os trabalhadores possam adentrar ao local de trabalho.

NOTA DO SETUT NA ÍNTEGRA:

  • O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (SETUT) solicitou ao Tribunal Regional do Trabalho, por meio de uma ação cautelar, o aumento da frota em circulação, com vistas a reduzir os contratempos para a população, que é penalizada devido ao não cumprimento da Lei de Greve pelo Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários do Piauí (Sintetro).
  • O Sintetro está fazendo piquetes nos portões de todas as garagens de transporte público, impedindo a saída dos veículos e impossibilitando que os trabalhadores consigam adentrar ao seu local de trabalho.

Outro lado

Sintetro informou que está cumprindo todas as obrigações em relação ao direito de greve, mantendo o que a lei determina.

Greve continua

Sem acordo entre o Setut, Prefeitura de Teresina e trabalhadores, a greve segue no segundo dia e prejudica milhares de usuários de transporte público de Teresina.

A categoria informou que até o momento não houve uma proposta satisfatória dos empresários e por esse motivo a greve segue por tempo indeterminado, até que a reivindicação seja atendida. Os trabalhadores querem reajuste salarial e aumento na frota.

Fonte: Setut

Próxima notícia

Dê sua opinião: