Procurador manda investigar caso do avião \"clonado\" de Zé Filho

Kelston Lages avião clonado investigação Polícia Federal


Procurador Kelston Lages

Procurador Kelston Lages Foto: Reprodução

O chefe da Procuradoria Regional Eleitoral no Piauí, Kelston Lages, determinou nesta terça – feira (30.09), a abertura de investigação para apurar a procedência do avião declarado pelo governador Zé Filho (PMDB) como sendo de propriedade dele, mas que se trata de uma aeronave clonada, já que o verdadeiro avião, um bimotor Seneca II, EMB-810C, prefixo PT-EZB, explodiu em setembro de 2002, após um acidente nas proximidades do aeroporto de Arcoverde, no interior de Pernambuco.

O pedido de investigação foi oficializado na segunda-feira (29.09) no Ministério Público Eleitoral, na Receita Federal e na Polícia Federal pelo advogado da coligação A Vitória com a Força do Povo, encabeçada pelo senador Wellington Dias, candidato a governador do Piauí pelo PT.

De acordo com despacho, do procurador Kelston Lages, a autuação da representação do advogados da A Vitória com a Força do Povo deve ser tratada com a “urgência que o caso requer”.

No despacho, Kelston Lages também determina que a ação seja encaminhada ao procurador Leonardo Carvalho Cavalcante de Oliveira para que ele adote as providência que considerar necessárias. O caso deverá ser encaminhado à Polícia Federal ainda nesta quarta-feira (01.10) para que sejam iniciadas as investigações e perícias.

Na ação, os advogados explicam que o governador declarou um “bem que não é dele”, por o avião declarado não existe nos registros da Agência Nacional da Aviação Civil – ANAC.

De acordo com a ANAC, a aeronave, um Seneca - EMB-810C, prefixo PT-EZB encontra-se com Certificado de Aeronavegabilidade – AC, cancelado. E por um motivo grave: o avião explodiu após um acidente, por volta das 3 horas da madrugada do dia 29 de setembro de 2002, a 500 metros do aeroporto de Arcoverde (PE). O bimotor era registrado em nome da Olinda Táxi Aéreo, empresa que também não mais existe.

Caso seja comprovada a fraude, com falsificação de documentos, o avião “clonado”, o governador Zé Filho poderá ter sua candidatura cassada imediatamente.

De acordo com os autores da ação, além do ilícito penal por manter e operar um avião de forma clandestina, ao informar à Justiça Eleitoral uma aeronave com registro "frio" o governador e candidato a reeleição, Zé Filho, incorre num crime eleitoral.

Até agora, nem o governador Zé Filho e nem a assessoria dele se pronunciaram sobre o caso.

Fonte: PRE

Próxima notícia

Dê sua opinião: