PANDEMIA

Previsão de retomada do setor da Educação no Piauí é para agosto deste ano

Informação foi dada pelo governador Wellington Dias em live realizada nesta quinta-feira (25)


Alunos em sala de aula

Alunos em sala de aula Foto: Semec

Na transmissão ao vivo realizada nesta quinta-feira (25) pelo Youtube, o governador Wellington Dias comentou que há uma previsão para que o setor da Educação no Estado seja retomado a partir de agosto, já na quarta etapa do Programa de Reabertura Organizada, o PRO Piauí, criado para o retorno das atividades comerciais que foram paralisadas por conta da pandemia do novo coronavírus.

 "A cada 15 dias teremos outras etapas permitindo que possamos chegar no mês de agosto, provavelmente, à área da Educação da última etapa, buscamos as condições dessa liberação, isso com muita responsabilidade, seguindo a ciência", avisou.

Ainda de acordo com Dias, o governo pode voltar atrás nas autorizações para retomadas, caso alguma região piauiense apresente índices fora dos previstos, seja de novos infectados, seja de mais internações ou mais óbitos por Covid-19.

"Também estamos trabalhando com a possibilidade de em algum lugar tenhamos um efeito colateral, a qualquer momento poder também dar passos para trás. É uma mensagem de esperança de que no Piauí estamos no caminho certo, garantindo aquilo que é mais importante, a vida, além da preocupação com a economia e com o emprego", disse.

As falas do governador sobre o setor da Educação podem ser ouvidas a partir dos 20 minutos do vídeo abaixo.

Na live, o Chefe do Executivo Estadual também anunciou multa para quem for visto em locais de atendimento público sem uso da máscara de proteção e maior restrição ao comércio para este e o próximo final de semana. As medidas visam conter o avanço da Covid-19 na capital e no interior.

A partir do dia 6 de julho, quando encerra a vigência do decreto de isolamento social, os setores da construção civil, comércio automotivo e de clínicas de saúde serão liberados.  A cada 15 dias, o governador fará reuniões com o Comitê Covid-19 para analisar a liberação mais de segmentos, incluindo o da Educação.



Próxima notícia

Dê sua opinião: