CORONAVÍRUS

Piauí tem sete casos confirmados de Covid-19; João Claudino Júnior é o 7º

O empresário testou positivo para a doença após a divulgação do boletim da Sesapi


Coronavírus

Coronavírus Foto: Shutterstock

O Piauí tem sete casos confirmados de Covida-19 e não seis como foi divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) nessa segunda-feira (23). Isso porque a Sesapi já havia divulgado o boletim quando saiu o resultado do exame do empresário João Claudino Júnior, que testou positivo para o novo Coronavírus. 

De acordo com informações do coordenador de Comunicação do Piauí, Allisson Bacelar, o teste de João Claudino Júnior foi realizado em outra cidade, no Laboratório Hermes Pardini, e só chegou a Teresina após a divulgação do boletim da Sesapi. Em Teresina, os testes são realizados pelo Laboratório Central (Lacen). Ainda segundo Allisson Bacelar, o caso do empresário será incluso no boletim desta terça-feira (24).

BALANÇO

De acordo com o boletim divulgado na noite dessa segunda-feira (23) pela Secretaria da Saúde, o Piauí manteve seis casos da covid-19, todos localizados em Teresina. O estado teve 269 casos notificados, 148 suspeitos e 115 casos descartados.

CORONAVÍRUS (COVID-19)

 Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China. Provoca a doença chamada de coronavírus (COVID-19). 

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

 TRANSMISSÃO

A disseminação da doença acontece de pessoa para pessoa, ou seja, a contaminação é por gotículas respiratórias ou contato. Qualquer pessoa que tenha contato próximo (cerca de 1 metro) com alguém com sintomas respiratórios está em risco de ser exposta à infecção.

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como:

  • gotículas de saliva;
  • espirro;

  • tosse;

  • catarro;

  • contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão;

  • contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

 

Os coronavírus apresentam uma transmissão menos intensa que o vírus da gripe. O período médio de incubação por coronavírus é de 5 dias, com intervalos que chegam a 12 dias, período em que os primeiros sintomas levam para aparecer desde a infecção.

A transmissibilidade dos pacientes infectados por SARSCoV é em média de 7 dias após o início dos sintomas. No entanto, dados preliminares do coronavírus (SARS-CoV-2) sugerem que a transmissão possa ocorrer mesmo sem o aparecimento de sinais e sintomas.

 PREVENÇÃO

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.

  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.

  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.

  • Ficar em casa quando estiver doente.

  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.

  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.

Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (mascára cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

TRATAMENTO 

Não existe tratamento específico para infecções causadas por coronavírus humano. No caso do coronavírus é indicado repouso e consumo de bastante água, além de algumas medidas adotadas para aliviar os sintomas, conforme cada caso, como, por exemplo:

  • Uso de medicamento para dor e febre (antitérmicos e analgésicos).

  • Uso de umidificador no quarto ou tomar banho quente para auxiliar no alívio da dor de garanta e tosse.

Próxima notícia

Dê sua opinião: