CORONAVÍRUS

HPM disponibiliza 40 leitos de UTI para casos confirmados de Covid 19

O HPM servirá como o hospital sentinela, onde funcionará exclusivamente para atender as pessoas acometidas com a Covid 19


Hospital da Polícia Militar

Hospital da Polícia Militar Foto: Polícia Militar do Piauí

O secretário de Segurança, Fábio Abreu, o comandante-geral da Polícia Militar, Lindomar Castilho e o secretário de Saúde, Florentino Neto e demais autoridades se reuniram na manhã desta quarta-feira (18), para discutirem medidas de emergências contra o coronavírus. Após a reunião ficou acordado que os leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital da Polícia Militar estarão disponíveis para tratamentos em possíveis casos registrados no estado.

De acordo com o secretário de Segurança, o momento requer uma atenção redobrada e um conjunto de esforços integrados entre todas as intuições.   “Nós prontamente preocupados em atender a população autorizamos a solicitação e disponibilizamos o HPM para que seja um local onde as pessoas que precisarem desse serviço possam ser atendidas com qualidade e dentro de tempo necessário. Entre as ações, também serão iniciadas protocolo de treinamento para equipes e a  preparação física do espaço do hospital”, explica Fábio Abreu.



Para o comandante-geral, Lindomar Castilho, o Hospital da Polícia Militar será um hospital de referência, considerando a organização e a gestão do hospital. “A polícia militar tem o papel de resguardar a população, por isso, nós acertamos com o Secretário de Saúde que sejam tomadas todas providências para equipar as unidades de terapias intensivas, principalmente, na parte de materiais, de recursos humanos e logística”, disse o coronel. Ainda de acordo com o comandante 40 leitos na UTI estarão disponíveis no combate a doença.

O HPM servirá como o hospital sentinela, onde funcionará exclusivamente para atender as pessoas acometidas com a Covid 19. “A partir desta intervenção por parte de secretaria de Saúde, o hospital passará por mudanças e uma série de serviços preparatórios, de forma que teremos um local adequado para colocar todos os pacientes em um único local, evitando assim a pulverização dos possíveis doentes em vários hospitais públicos”, finalizou o secretário de Saúde Florentino Neto.


Próxima notícia

Dê sua opinião: