Estudantes da Uespi voltam à Alepi nesta terça-feira

Os estudantes de Medicina querem mais recursos para a universidade


Alunos de Medicina da Uespi voltam a ocupar a Assembleia Legislativa

Alunos de Medicina da Uespi voltam a ocupar a Assembleia Legislativa Foto: Paulo Pincel

Os estudantes do curso de medicina na Universidade Estadual do Piauí (Uespi) voltam a ocupar a  Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) nesta terça-feira (18) para cobrar mais recursos para a universidade. Na semana passada, os estudantes fizeram uma manifestação na Alepi no dia em que ocorreria a votação do Orçamento do Estado para 2019, mas por falta de quórum na casa, a sessão foi cancelada. 

Segundo a professora Conceição Rodrigues, do Sindicato dos Docentes, o orçamento que é destinado à Uespi não é suficiente para suprir a demanda da instituição. “O orçamento que é destinado a Uepi nunca é executado 100% e por isso temos problemas graves, estruturais, falta de professor na sala de aula, falta de bolsa para estudante. A gente quer que o Governo do Estado trate a Uespi como ela merece, que é a maior universidade pública do Estado”, diz a professora. 

Ainda na semana passada, os estudantes realizaram uma caminhada da Faculdade de Ciências Médicas (Facime), que fica no Centro de Ciências da Saúde, até o Palácio de Karnak. Em seguida, alunos e professores seguiram foram até a Alepi.

Alunos de Medicina da Uespi voltam a ocupar a Assembleia Legislativa

O estudante de medicina da UESPI, Jonatas Dias, disse que a universidade não tem autonomia financeira. “O nosso orçamento é insuficiente para garantir professores em sala de aula, prática em laboratórios. Além disso, esse orçamento nunca é cumprido porque o governador sempre faz o corte desse orçamento que está previsto por não termos autonomia financeira. O orçamento que os deputados estaduais destinam para a UESPI é insuficiente para garantir a qualidade da universidade”, disse Jonatas.

Alunos de Medicina da Uespi voltam a ocupar a Assembleia Legislativa

Fonte: Paulo Pincel

Próxima notícia

Dê sua opinião: