PANDEMIA

Entidades entram na Justiça contra a reabertura do comércio no Piauí

As entidades querem que o governador e prefeito suspendam os planos de retomada da economia


Aglomerações no Centro de Teresina durante o período de isolamento social

Aglomerações no Centro de Teresina durante o período de isolamento social Foto: Luiz Brandão

Vinte e cinco entidades que integram a Frente Piauí Popular e a Frente Povo Sem Medo ingressaram com uma ação civil pública na Justiça na tarde desta quarta-feira (09) para impedir a reabertura dos estabelecimentos comerciais no estado. Eles alegam que o Piauí vem atravessando picos de contaminados e óbitos pelo novo coronavírus e a acreditam que a flexibilização das atividades econômicas vai acelerar o número de mortos e elevar a taxa de ocupação das Unidades de Terapia Intensiva (UTI).

"O objetivo da ação é que, diante do alto índice diário de infectadas pelo Coronavirus e da média diária de mais de 22 pessoas que estão indo a óbito no Piauí, que o governo do Estado e a Prefeitura de Teresina só deixem funcionando os serviços essenciais. Somos totalmente contrários a flexibilização de do comércio e serviços agora", disse um dos coordenadores da Frente Popular Brasil, sociólogo Marcelino Fonteles.

As entidades querem que o governador Wellington Dias (PT) e o prefeito Firmino Filho (PSDB) suspendam os planos de retomada dos setores econômicos até que os riscos do contágio diminuam consideravelmente. 

"Estamos vivendo uma tragédia, como podemos pensar em abrir o comércio e os serviços agora, sabendo que essa tragédia só vai aumentar e o sistema de saúde não suportará? Vamos permitir que centenas de pessoas morram por falta de qualquer assistência hospitalar? É essa a decisão dos poderes públicos Estadual e municipais? Ou alguém tem alguma dúvida que, aumentando celeremente o número de pessoas nas ruas e aglomerados urbanos, aumentará rapidamente o número de pessoas infectadas e que precisarão de hospitais? Estes, estão quase lotados em suas UTIs, e, com o aumento de infectados, em 15 ou 25 dias, o caos se estabelecerá", questionam as Organizações.

As entidades lançaram o manifesto 'A Vida dos piauienses deve está em primeiro lugar' para lembrar que a vida deve estar acima do lucro. "Somos contra que se jogue milhares de pessoas à mercê do coronavírus, para adoecerem ou morrerem, sem ter qualquer atendimento hospitalar, pois os hospitais estarão superlotados e sem vagas.
Entendemos que, enquanto o número de pessoas infectadas por dia não for  inferior a 500, e o número de óbitos pelo coronavírus não for inferior a 10 por dia, nada mais deve ser flexibilizado. O ideal é que se alcance zero contágio por dia e zero óbito diário, ou se aproxime disso, a exemplo do que algumas cidades e até países já  alcançaram".

Veja a lista das organizações que assinaram o documento:

FRENTE PIAUÍ POPULAR
FRENTE POVO SEM MEDO
CUT - Central Única dos Trabalhadores
CTB -  Central de Trabalhadores do Brasil
MAB - Movimento dos Atingidos por Barragens
MPA - Movimento dos Pequenos Agricultores
MST - Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra
ABJD - Associação Brasileira de Juristas pela Democracia – Núcleo Piauí
CMP - Central de Movimentos Populares
FAMCC-PI - Federação das Associações de Moradores e Cons. Comunitários
UJS - União da Juventude Socialista
JPT - Juventude do Partido dos Trabalhadores
MCP - Movimento Camponês Popular
SINTTEL - Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações do Estado do Piauí
PCdoB - Partido Comunista do Brasil
PT - Partido dos Trabalhadores
UP - Unidade Popular
PCO - Partido da Causa Operária
Levante Popular da Juventude
ADUFPI - Associação de Docentes da UFPI
SINDSERM
Obra Kolping Piauí
UBM - União Brasileira de Mulheres
FARBRAL - Feministas Anarquistas Revolucionárias do Brasil
FETAG - Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado do Piauí
Frente Popular de Mulheres Contra o Feminicídio
Intersindical - Instrumento de Luta e Organização da Classe Trabalhadora

Próxima notícia

Dê sua opinião: