SOLIDARIEDADE

Criança com paralisia cerebral precisa de ajuda para fazer cirurgia em Teresina

João Miguel tem 3 anos e precisa passar por um procedimento cirúrgico


João Miguel

João Miguel Foto: Arquivo pessoal

O baiano João Miguel de Oliveira Bispo, de 3 anos, tem paralisia cerebral do tipo quadriplegia espástica (afeta os quatros membros e rigidez muscular) e precisa de uma cirurgia com um neurocirurgião em Teresina para reduzir a espasticidade (distúrbio de controle muscular que é caracterizado por músculos tensos ou rígidos). O procedimento cirúrgico é chamado de rizotomia dorsal seletiva e será realizado pelo médico Dr. Francisco Alencar - CRM 2565.

João Miguel é filho do policial militar Jefferson Bispo e de Suzana Oliveira, que alegam que a criança foi vítima de um erro médico ao nascer. "Miguel necessitou de reanimação ao nascimento e apresentou desde os primeiros dias, episódios de crises convulsivas. A crise foi controlada até 2019, no entanto, neste ano de 2020, ele começou a ter crises frequentes, mesmo tomando remédios para controlar".

A criança não senta na posição correta, tendo a única posição a de formato W. Miguel apresenta encurtamento muscular, tem dificuldades de manter o equilíbrio ao usar suas mãos, pois a coordenação motora é afetada nos quatros membros (braços e pernas). Ele não anda e a fala também é afetada. 


"A cada dia está tendo pioras, principalmente, em relação a rigidez muscular (espasticidade). Isso pode chegar ao ponto de atrofiar (irreversível). Pelo vídeo e imagens é de perceber que seu pé esquerdo já está bastante comprometido e a cada dia há um aumento do tônus muscular, devido a espasticidade", relata os pais do garoto.

O sonho do pequeno Miguel é andar e ter um sono mais tranquilo, pois devido ao aumento de rigidez na musculatura, ele não dorme bem apesar de tomar relaxante muscular. Para isso acontecer, a família precisa de ajuda para custear a cirurgia.  "Enfim, queremos que ele seja mais independente. E, que realize seu sonho de poder jogar bola, correr, brincar, como qualquer outra criança".

Os pais de Miguel explica que se a espasticidade do menino não for tratada, ele poderá ter deformidades ósseas e  ter mais encurtamento em outros músculos.  Com a cirurgia, a criança poderá ter chance de: 

  1. andar, 
  2. melhorar sua coordenação motora, 
  3. sua postura, 
  4. equilíbrio do corpo, principalmente o sentar,
  5.  melhora em deglutição,
  6.  melhora nas crises. 
  7. diminuir permanente as dores musculares que ele sente, que atrapalha muito seu sono
  8. evitar deformidades, como luxação de quadril e escoliose.

Miguel tem plano de saúde, mas infelizmente o plano não cobre a cirurgia que custa R$ 60 mil. O valor inclui a cirurgia, equipe médica, hospital e o processo de reabilitação pós-cirúrgico. 

"Peço encarecidamente a você que pode e quer nos ajudar, doe qualquer quantia que esteja ao seu alcance para que possamos ver Miguel andar, ser independente e ter uma qualidade vida melhor. O nosso apelo hoje é devido perceber a piora no quadro dele, pois quando menorzinho ele conseguia dar alguns passinhos com a gente segurando nas mãos, mas hoje infelizmente ele não fica nem de pé, devido ao aumento da espasticidade e crises convulsivas que ele tem diariamente, mesmo tomando duas medicações para controlar a crise, ele ainda está tendo", disse o pai. 

COMO DOAR

O telefone para contato é (75) 9 91750135;

A família disponibilizou os seguintes dados bancários:

Caixa econômica

Agência 3644

Op 013

Conta 3420-9

Galdina Suzana de Oliveira (mãe )

CPF 033.354.205-35

...........

Banco do Brasil

Agência 0684-0

Conta corrente 29281-8

Jefferson Henrique Soares (pai)

CPF 024.829.605-17

VAQUINHA ONLINE: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/miguel-quer-andar-paralisia-cerebral


Próxima notícia

Dê sua opinião: