Presos e jovens sob medida socioeducativa fazem provas do Enem

Ao todo, 41.044 inscrições foram realizadas em todo o Brasil.


Enem em unidades prisionais

Enem em unidades prisionais Foto: Jornal O Globo

Pessoas privadas de liberdade e jovens sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade realizaram nessa terça (11) e continuam nesta quarta-feira (12) o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem PPL). Ao todo, 41.044 inscrições foram realizadas em todo o Brasil. 

No Piauí, as provas são aplicadas em 15 unidades prisionais ao mesmo tempo. Na cidade de Picos, são duas unidades; e em Bom Jesus, Parnaíba, Oeiras, Esperantina, Floriano, São Raimundo Nonato e Campo Maior, uma em cada. Na grande Teresina as provas são realizadas na Penitenciária Irmão Guido, Custódia, Penitenciária Feminina, CDP Altos, Major César e Casa de Albergado.

Ao todo, 348 pessoas fizeram a inscrição. "Os números têm só crescido. Em 2017 foram 313 inscritos. Então, aumentamos as inscrições, mesmo tendo em vista que o número de pessoas que terminaram o ensino médio é pequeno. Nossa expectativa é que tenhamos um bom número de presenças e resultados satisfatórios, devido à política executada por meio da Secretaria da Educação, em parceria com a Secretaria da Justiça, com toda a preparação do exame por meio do canal educação e das revisões realizadas nas unidades prisionais durante o ano", afirma a coordenadora de Ensino nas Prisões da Sejus, Jussyara Valente.

Assim como no Enem regular, no primeiro dia do Enem PPL foram aplicadas as provas de linguagens e códigos, além de ciências humanas e tecnologias voltadas para as duas áreas e a redação. Já, no segundo dia do exame, são avaliados os conhecimentos em ciências da natureza e matemática e tecnologias aplicadas nas duas questões.

Fonte: CCOM

Próxima notícia

Dê sua opinião: