Teresina adere ao Programa de Regionalização do Turismo

A capital do Piauí passa a integrar o Mapa do Turismo Brasileiro 2019


Adesão de Teresina ao Programa de Regionalização do Turismo

Adesão de Teresina ao Programa de Regionalização do Turismo Foto: Assessoria

O prefeito Firmino Filho assinou, na manhã desta terça-feira (16), no Palácio da Cidade, um documento em que Teresina adere ao Programa de Regionalização do Turismo (PRT) que visa integrar o Mapa do Turismo Brasileiro 2019. A assinatura do documento ocorreu ao final da reunião do Conselho da Instância de Governança do Polo Teresina. 

Com a assinatura, o Polo Teresina terá que responder questionários e comprovar uma série de exigências para que o município possa ingressar com projetos no BNDES para captar recursos e garantir investimento no setor de turismo. O Mapa do Turismo Brasileiro baseia a criação de políticas públicas e a destinação prioritária de recursos do Ministério do Turismo, com foco no desenvolvimento regional do setor. 

Em janeiro deste ano, o Ministério do Turismo compilou um conjunto de perguntas e respostas que facilitam o entendimento do processo de atualização do Mapa. Entre as exigências para atendimento dos critérios, com vistas ao acesso a linhas de crédito, existe a obrigatoriedade do município de ter um órgão de turismo em atividade, conselho municipal de turismo funcionando, orçamento próprio destinado ao turismo local, além de prestadores de serviços registrados no Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos do MTur (Cadastur). Teresina já atende a essas exigências e foi a quinta cidade a receber o 'Selo+ Turismo', que credencia os seus projetos. 

O prefeito Firmino Filho destacou que o momento é de organizar os municípios que compreendem a Instância de Governança do Polo Teresina para que eles possam estar aptos a participar da politica nacional que quer investir nas ações de regionalização do turismo no Brasil. 

“Existe uma política nacional que busca a regionalização das ações do turismo, e a Prefeitura de Teresina está dentro desse Polo, que é o Polo Teresina, compreendendo 13 municípios. As pré-condições estabelecem que esses 13 municípios possam estar organizados para estarem aptos a participar dessa política nacional. Por isso, é fundamental que a gente possa cumprir as condições iniciais, principalmente no desenrolar do processo, para podermos ter acesso aos projetos que venham apoiar a atividade turística desse Polo Teresina”, explicou. 

Para o gestor da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Semdec), Venâncio Cardoso, os 13 municípios se organizarem é de extrema importância não só para Teresina. “Com a captação de investimentos, com projetos claros, podemos criar um ambiente apto para fazer com que o setor do turismo da nossa região seja de fato contemplado e gere mais opções e, consequentemente, mais divulgação, mais turistas e, claro, mais riquezas para nossos municípios”, disse. 

A Instância de Governança Regional do Polo Turístico de Teresina tem como objetivo auxiliar na busca de ferramentas para que cada unidade federada, região e município tenham meios para explorar da melhor maneira suas alternativas de desenvolvimento do setor de turismo. O Polo Teresina é formado pelas prefeituras de Altos, Beneditinos, Campo Maior, José de Freitas, Miguel Leão, Miguel Alves, Monsenhor Gil, Novo Santo Antônio, Pau D’Arco, Passagem Franca, Santa Cruz dos Milagres, Teresina e União, e outras entidades públicas e privadas.

Fonte: Assessoria

Próxima notícia

Dê sua opinião: