CINEMA

Salas vazias mostram os estragos da pandemia, mas não apagam a magia das telas de cinema

Público relata que a experiência coletiva criou memórias afetivas para toda vida


Cinema

Cinema Foto: Divulgação

Nesses dias de quarentena a saudade é o sentimento mais presente na vida de todos. Saudades dos abraços, dos amigos, das festas, das idas ao shopping e do delicioso prazer de assistir um bom filme no cinema.

De acordo com a ComScore, empresa de análise de mídia, as salas de cinemas no Brasil registraram público zero, pela primeira vez. Isso porque estão fechadas seguindo as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), para conter a pandemia do novo coronavírus.

Apesar disso, a experiência de assistir filmes no cinema continua mágica e única. Mesmo com toda a facilidade de acesso às produções em casa, ver filmes na grande telona ainda é a preferência e uma das atividades mais apreciadas pelo público.

O curador dos Cinemas Teresina, Douglas Machado, atribui isso a uma série de fatores. "Antes de tudo, o espectador é um ser social. E nenhum canal de streaming, filme compartilhado entre computadores ou Blu-rays, onde se assiste em casa, se compara a experiência coletiva frente a uma grande tela de cinema. Se emocionar, rir, sentir medo, tudo isso anda de mãos dadas com o coletivo. Além disso, acredito que depois da quarentena, estaremos todos esgotados de redes sociais e filmes em casa, não é verdade?", ressalta.

Douglas ainda acrescenta que hoje a experiência de ir ao cinema vai muito além de apenas assistir a um filme. Ele explica que se limitar somente a exibição de filmes do catálogo de lançamento das distribuidoras seria uma postura equivocada do que existe de potencial nas salas de cinema. Ele elenca ações dos Cinemas Teresina para proporcionar um diferencial ao espectador e contribuir para criar uma identidade única.

"Em primeiro lugar, uma de nossas alegrias é proporcionar um leque amplo de cinematografias que possa deixar nosso espectador num estado de encantamento. Desde filmes do grande circuito aos filmes de autor e de repertório. Aliado a isso, buscamos dividir conhecimento sobre a Sétima Arte através das Sessões com debate, onde o espectador pode conversar diretamente com os cineastas, elenco e produtores; das masters classes com profissionais de ponta no mercado cinematográfico, além das mostras e retrospectivas que ampliam o entendimento da produção audiovisual no Brasil e no mundo. Cinema, para mim, não deve se limitar a exibição do catálogo de lançamentos, unicamente. Tem que ir mais além, abraçar o espectador em sua inteireza. Nossa equipe e diretoria compartilham dos mesmos pensamentos. Estamos, todos juntos, construindo nossa identidade aqui no Cinemas Teresina", revela.

Memórias no cinema

Nas redes sociais a saudade fica evidenciada com os depoimentos de momentos felizes e marcantes do público nos Cinemas Teresina. "O último filme que assisti nos Cinemas Teresina foi Minha Mãe é um Peça 3. Ri pra caramba com amigos e familiares. Espero que tudo isso passe logo para que possamos voltar a rir e se divertir nos Cinemas Teresina", disse o Diego de Oliveira.

David Williams é outro espectador que guarda na memória momentos incríveis no cinema. "Tenho muitas histórias com os Cinemas Teresina, mas a que mais me traz uma memória afetiva foi quando eu assisti Star Wars pela primeira vez. Assistir pela primeira vez no cinema é uma coisa incrível. Foi em 2012 quando Lucas Filmes estava relançando em 3D. Foi inexplicável e eu me lembro com muito carinho até hoje porque foi uma das experiências mais incríveis que tive na vida", relembra.

Novidades

Para os saudosos do cinema, Douglas Machado adianta que ainda este ano acontecerão muitas novidades, logo após esse período de quarentena. "Faremos um novo cronograma após o retorno das atividades, mas podemos listar algumas iniciativas que vem por aí: Mostra FJ Cines, com filmes clássicos do Ingmar Bergman e do Federico Fellini. Esta será, com certeza, nossa primeira ação cultural quando retornarmos da quarentena; o espetáculo O Som da Imagem voltará às telas, onde a projeção dos filmes será novamente acompanhada ao vivo pela Orquestra Sinfônica de Teresina; nova Master Class, desta vez com a professora de cinema e documentarista Karla Holanda com o tema Cinema Brasileiro: novas perspectivas", adianta.

Além disso, ainda acontecerá a exibição especial do filme Central do Brasil, em cópia remasterizada. A sessão está prevista para acontecer dia 19 de junho para comemorar o Dia do Cinema Brasileiro. Ainda no cronograma de 2020 acontecem as Sessões com Debate dos filmes: Pacarrete, com a presença do diretor Allan Deberton e da atriz Marcélia Cartaxo; Marighella, com Wagner Moura, e Piedade, com o diretor Cláudio Assis.

Fonte: Icone Comunicação

Próxima notícia

Dê sua opinião: