CORONAVÍRUS

Guarda Municipal fecha mais de 500 estabelecimentos que insistem em ficar abertos

O decreto do prefeito Firmino Filho determina a suspensão de todas as atividades econômicas, exceto os serviços essenciais


Guarda Municipal fecha estabelecimentos em Teresina

Guarda Municipal fecha estabelecimentos em Teresina Foto: Divulgação

Entre as medidas protetivas por conta da pandemia do Covid-19, a cooperação da população por meio da quarentena destaca-se como uma das mais importantes ferramentas no combate à transmissão do vírus. O Decreto Municipal 19.540 fortalece essas articulações, estabelecendo a suspensão do funcionamento de estabelecimentos comerciais, de serviço e industriais. A medida vem tendo seu cumprimento fiscalizado pela Guarda Municipal de Teresina, que só neste fim de semana realizou a interdição de 521 locais abertos irregularmente.

Segundo o secretário municipal da Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas, Samuel Silveira, que vem acompanhando diretamente as operações, a fiscalização continua durante toda a semana e pelo tempo que se fizer necessária. “A ação vem ao encontro do enfrentamento ao coronavírus e nos deixa muito angustiados ver que algumas pessoas ainda não têm dimensão desse problema. Estamos fazendo valer a proibição de aglomerações e dos decretos, tanto municipal quanto estadual”, assegurou. A previsão é de que haja um patrulhamento mais intenso ainda no centro da capital.

Essa necessidade de cumprimento da medida de saúde pública por todos, de forma que se achate a curva de transmissão do Covid-19, vem sendo reforçada por parte mais consciente da população, que vem denunciando as aglomerações observadas e os estabelecimentos de caráter não essencial. 

Segundo Lorena Silva, agente do comando da GCM, o órgão vem recebendo cerca de 15 denúncias a cada 10 minutos. “Se antes recebíamos cinco chamadas por dia, com essa situação pandêmica elas passaram para quase 300 por dia.Temos no mínimo uma equipe por zona e estamos atendendo a todas as solicitações que recebemos”, detalha.

O aumento das demandas trouxe novas organizações de escala e novas preocupações sanitárias: as viaturas estão sendo higienizadas com frequência ainda mais assídua e todos os agentes foram aparelhados com luvas, máscaras e álcool em gel. “Reestruturamos nossa troca, mudamos nossa logística e adaptamos o serviço, tudo pelo bem do cidadão, sem deixar de lado a segurança dos guardas”, pontua Lorena.

“Pedimos a colaboração da população, que deve evitar frequentar lugares que não tem uso essencial. A Guarda Municipal está contribuindo para que se perca a menor quantidade de vidas possíveis, mas também precisamos que o cidadão faça sua parte”, finalizou Lorena.

DECRETO

De acordo com o decreto divulgado no sábado (21), está suspenso o funcionamento de todos os estabelecimentos comerciais de serviços e industriais, bem como as atividades de construção civil. Também fica suspenso o funcionamento dos parques municipais e áreas públicas de recreação, lazer e práticas esportivas; das lanchonetes e estabelecimentos congêneres.

As farmácias, supermercados e os serviços de saúde permanecerão abertos, assim como os deliverys. Os postos de gasolina deverão funcionar no horário de 7 às 19h, com a suspensão do funcionamento das lojas de conveniência localizadas nesses locais.

"O funcionamento de bancos e lotéricas não serão afetados, mas deve ser respeitado e cumprido um limite máximo para acesso e distância mínima de dois metros entre as pessoas. Em caso de descumprimento das regras, serão aplicadas, de maneira cumulativa, multa, interdição total da atividade e cassação de alvará de localização e funcionamento", disse a Prefeitura de Teresina.

GUARDA MUNICIPAL FISCALIZA 

A população pode denunciar sobre os estabelecimentos que estão abertos para a  Guarda Civil Municipal. Além do WhatsApp  (86) 99438-0254, o cidadão ainda pode utilizar os números 153 e (86) 3215-9317 para entrar em contato diretamente com a Prefeitura de Teresina e repassar as informações de estabelecimentos que permanecem abertos irregularmente.

Próxima notícia

Dê sua opinião: