SEM SALÁRIOS

Motoristas e cobradores de ônibus iniciam greve nesta sexta-feira (15)

A categoria afirma que está sem receber salários desde março e não há um acordo com o Setut


Ônibus em Teresina

Ônibus em Teresina Foto: Alinny Maria/Piauí Hoje

A greve dos motoristas e cobradores de ônibus de Teresina terá início às 0h desta sexta-feira (15). De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários do Piauí (Sintetro), os trabalhadores estão com salários atrasados e as empresas alegam que não têm como realizar o pagamento porque não estão arrecadando.

De acordo com o presidente do Sintetro, Fernando Santos, houve uma reunião virtual entre a Prefeitura de Teresina, empresários e trabalhadores, em que a Prefeitura informou que poderia repassar R$ 1 bilhão para ajudar na folha de pagamento, mas os empresários disseram que é necessário pelo menos R$ 2,4 milhões. Portanto, até o momento não houve negociação do Sintetro com o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Teresina (SETUT).

Fernando Santos disse ainda que os trabalhadores estão com o salário de março em atraso. "O pessoal sai de férias e não recebe. Quando volta não recebe. Não tem pagamento de plano de saúde e ticket para quem está trabalhando. Está complicado!".

O Setut emitiu uma nota e disse que foi comunicado sobre a greve dos trabalhados, mas lamentou o movimento porque afetará os serviços essenciais.

O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Teresina (SETUT), em virtude do ofício recebido do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Rodoviários no Estado do Piauí (SINTETRO), informando realização de greve da categoria a ser iniciada às 00:00 do dia 15/05/2020, vem, por meio desta nota, lamentar a adoção de tal medida no momento porque passa o mundo, o Brasil, o Piauí e em especial Teresina, decorrente da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). O SETUT também se solidariza com a população de Teresina, em especial os trabalhadores em serviços essenciais, principalmente os da área de saúde, pelo prejuízo que lhe causará o movimento grevista iniciado pelos trabalhadores do setor de transportes urbanos desta capital.

A Superintendência Municipal de Trânsito (Strans) também divulgou uma nota e disse que vai tomar medidas para garantir a operação mínima do transporte público durante a greve. A Strans disse que cadastrou ônibus e vans para atender os usuários.

A Strans informa que tomará medidas para garantir a operação mínima do transporte público a partir desta sexta-feira (15), caso haja deflagração da greve que vem sendo anunciada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários (Sintetro). 

Caso a greve seja deflagrada, os ônibus e vans cadastrados no início do mês de maio pela Strans vão garantir o atendimento aos usuários do transporte coletivo que atuam nos serviços públicos considerados essenciais em Teresina. O cadastro foi uma medida de planejamento dentro da logística de funcionamento do serviço de transporte público. 

Se a greve não for deflagrada, a frota do feriado do Dia do Piauí funcionará com a frota constitucional mínima, equivalente ao domingo normal. Por conta da pandemia do novo coronavírus, o feriado comemorado no dia 19 de outubro, foi antecipado para esta sexta-feira (15).

Próxima notícia

Dê sua opinião: