TRAGÉDIA

Laudo aponta crime ambiental no Parque Rodoviário

Com o laudo, a empresa responsável pelo terreno poderá ser responsabilizada


Mais de 100 famílias ficam desabrigadas no Parque Rodoviário

Mais de 100 famílias ficam desabrigadas no Parque Rodoviário Foto: Luiz Brandão

O laudo elaborado pela Delegacia de Meio Ambiente e pelo Ministério Público do Piauí (MP-PI) revela que houve crime ambiental no Parque Rodoviário, bairro da zona Sul de Teresina que foi atingido por uma enxurrada que matou duas pessoas e várias famílias desabrigadas em abril deste ano.

Em entrevista ao G1, a delegada do Meio Ambiente, Edenilza Rodrigues Viana, informou que a empresa proprietária do antigo clube da Telemar, local onde a lagoa se formou e se rompeu,  pode ser responsabilizada pelo dano. Com a chuva que caía sobre Teresina na noite de 4 de abril, a lagoa que fica dentro do terreno transbordou, rompeu uma rua que funcionava como dique, e arrastou casas e veículos no bairro.

“Após a tragédia nós fomos ao local com a perícia do Ministério Público, já que a gente ainda não tem no nosso quadro um engenheiro florestal para fazer esse tipo de perícia. E o resultado desse laudo constatou que houve erosão do solo, em decorrência da enxurrada. Agora que temos uma prova contundente, estamos instaurando um procedimento”, explicou a delegada ao G1,

Agora a Delegacia do Meio Ambiente vai ouvir a empresa responsável pelo clube e se for entendido que a empresa é culpada, o proprietário será indiciado artigo 54 da Lei de Crimes Ambientais. na modalidade culposa.

Os moradores informaram que o local era conhecido antes como 'Clube da Telemar' e foi desativado em 2004 após a empresa de telefonia mudar para a Oi. Procurada pela reportagem do G1, a empresa disse que não vai se pronunciar no momento. Logo após a tragédia, a Prefeitura de Teresina informou que faria um estudo técnico para determinar as causas da enxurrada. Procurada, a administração municipal informou que as investigações ainda estão em andamento.




 

Fonte: G1

Próxima notícia

Dê sua opinião: