Elevado da Avenida Miguel Rosa vai continuar fechado

O diretor-geral do DER-PI, Castro Neto, não informou quando o viaduto será liberado


Há rachaduras no concreto por toda parte

Há rachaduras no concreto por toda parte Foto: Cidadeverde.com/Letícia Santos

Uma equipe do Departamento de Estradas de Rodagem do Piauí esteve hoje (15) cedo avaliando o comprometimento da estrutura do elevado da Avenida Miguel Rosa, fechado para o tráfego deste o início da noite de terça-feira e que vai permanecer interditado por tempo indeterminado, por conta de problemas apresentados no concreto da rampa de acesso do viaduto, que cedeu. Equipes da Strans e da PRF mantém a interdição do elevado, com viaturas bloqueando a passagem dos veículos. 

Há rachaduras, fissuras e desgaste do concreto com a exposição dos vergalhões, e deformação da estrutura de ferro que sustentam a laje do elevado, que se encaixa na rampa de acesso.   

O diretor-geral do DER-PI, Castro Neto, já esteve no local, acompanhado de engenheiros do órgão, avaliando a situação. A princípio, não há      

“Estivemos com os engenheiros do DER fazendo uma avaliação da estrutura. O que houve foi uma deformação do aterro, que causou uma diferença de nível entre a rampa de acesso e a estrutura da ponte, aumentando o impacto sobre essa área. Não tem riscos na estrutura da ponte, nossos técnicos já avaliaram. Vamos nos reunir com a construtora, com o engenheiro projetista para traçar um plano de reforma o mais rápido possível.", garantiu Castro Neto.

Sobre as causas do desnível, Castro Neto adiantou que “pode ter sido um aterro mal compactado” “Vamos refazer o aterro e reforçar essa estrutura, refazendo o concreto que cedeu”.

Sobre o prazo para a liberação do local, Castro Neto afirmou que a interdição vai continuar até que seja programado o tempo de interdição para a recuperação da estrutura que cedeu, mas que a obra “vai ser algo rápido, não deve demorar muito”.  

O coordenador de Engenharia do Corpo de Bombeiros, Major Veloso, é o responsável pela interdição do elevado.  “Foi uma interdição necessária para uma avaliação do uso ou restrição do local, pelo grande fluxo de veículos é preciso ter esse controle. É uma questão de gerenciamento de risco, a gente tem uma ameaça e a vulnerabilidade. Duas coisas associadas que precisam ser analisadas para a tomada de decisão posterior, inclusive pelo isolamento. Os profissionais de Engenharia do DER-PI é que vão identificar e decidir de uma maneira mais precisa sobre as intervenções”.

O congestionamento na Avenida Miguel Rosa, no sentido Sul/Centro foi menor do que o esperado. Muita gente evitou aquela via, temendo ficar preso no trânsito e não chegar a tempo na escola dos filhos e no trabalho.

Fonte: DER-PI

Próxima notícia

Dê sua opinião: