DENÚNCIA

Cantora acusa casa de shows em Teresina de racismo

Caso aconteceu na madrugada desse sábado, 28


Idalice Araujo

Idalice Araujo Foto: Rede social/Instagram

Idalice Araujo, cantora e estudante de Nutrição em Teresina, relata uma situação constrangedora que vivenciou na madrugada desse sábado, 28, em uma casa de shows e eventos localizada na avenida Dom Severino, bairro Horto, na zona Leste da capital.

Em sua rede social, ela fala que junto ao seu namorado, Felipe Feitosa, a funcionária do caixa do local insinuou que os dois não teriam dinheiro para pagar por copos personalizados que estavam à venda. Os outros amigos que estavam com eles não passaram pela mesma situação, logo, a cantora acredita que a fala da funcionária foi movida por racismo. 

Relato de Idalice Araujo em sua rede social
Foto: Instagram

''O que aconteceu foi que achamos que poderíamos levar o copo, falaram que não. Tudo bem, meu namorado foi atrás de levar. Foi ao caixa orientado pela mulher, lá ele acha absurdo pagar os R$30,00 pelos dois copos. Aí ele volta para entregar a bebida que estava na mão dele para um amigo. Nessa hora a mulher em questão aborda novamente e diz que ele precisa pagar para levar os copos, mas que ele não poderia, porque ele era pobre.'' Idalice Araujo fez Boletim de Ocorrência (B.O) no 9° Distrito Policial, na zona Norte de Teresina, e aguarda retorno da justiça.


Giorgi Mesquita, sócio administrador do Vila Isabel, se pronuncia em vídeos na rede social
Foto: Instagram

Na rede social oficial do Vila Isabel, foi afirmado, em diversos vídeos, que a denúncia não procede e que nesta segunda, 29, as devidas providências na Delegacia de Crimes Virtuais, por causa da acusação feita à casa de shows, serão tomadas. "A gente analisou as imagens, eu não posso expor as imagens aqui porque não posso expor a privacidade dos nossos clientes e amigos, mas a gente já está tomando as providências'', disse o Giorgi Mesquita, sócio administrador do Vila Isabel em um dos vídeos divulgados na rede social da casa de shows e eventos.

Idalice Araújo diz que esperava um pedido de desculpas pela situação causada ao postar o caso na sua rede social, pois não entende o que define alguém como pobre e que tudo isso foi humilhante e constrangedor. "Se eles achavam que era uma mentira diziam: a nossa funcionária negou, mas pedimos desculpas se isso foi o acontecido, e isso não vai acontecer e não acontece no nosso estabelecimento. Mas não, vieram com stories (vídeos na rede social) me chamando de mentirosa e lacradora, dizendo que iam me denunciar por calúnia, postando vídeo cortado'', completa Idalice.

Próxima notícia

Dê sua opinião: