Pai e filho morrem em queda de ultraleve

pai e filho morrem acidente ultraleve


 A queda de um ultraleve em Tatuí (SP) - registrada na tarde de sábado (9) matou pai e filho, de acordo com informações da Polícia Civil. O homem, de 54 anos, pilotava a aeronave, enquanto que o filho, de 23, estava no banco passageiro. Ainda segundo a polícia, ambos tinham licença para pilotar o ultraleve, que decolou de Quadra (SP), cidade localizada a 25 quilômetros de Tatuí.
A Polícia Civil ainda informou que pai e filho moravam em Sorocaba (SP). Os corpos estão em uma funerária de Tatuí, que os levará ao Instituto Médico Legal (IML). Depois da perícia, pai e filho serão encaminhados a uma funerária de Sorocaba para a realização do velório e enterro. A família das vítimas já foi avisada do acidente.
Além da polícia, o órgão Serviços Regionais de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa), da Aeronáutica, também acompanhará o caso, afirma o Aeroclube de Tatuí (ACT). As causas do acidente são desconhecidas.
A queda aconteceu por volta das 12h deste sábado em uma área de mato alto perto da pista de pouso pública da cidade, o Aeroclube de Tatuí (ACT), no Jardim Aeroporto. A equipe do Corpo de Bombeiros foi a primeira a chegar ao local, mas as vítimas já foram encontradas mortas.
O piloto Claudio Rocha sobrevoava o ACT no momento do acidente. Ele foi responsável por fazer a comunicação via rádio com o piloto, que pediu permissão para pousar segundos antes do acidente. “Iniciei meu procedimento de pouso e a aeronave que caiu começou a conversar comigo. Ela reportou que também tinha intenção de pouso, mas falei que eu tinha prioridade e o piloto falou tudo bem. Quando livrei a pista para ele, ele estava iniciando o procedimento dele. Mas no momento em que ele fez a curva para o pouso, ele não desfez a curva e começou a cair”, descreve.
O ultraleve é de um modelo chamado de tryke, que possui capacidade para duas pessoas e tem motor traseiro. Segundo o presidente do ACT, César Mazzoni, o modelo é comum e bastante utilizado para o lazer. “As aeronaves experimentais todas utilizam materiais aeronáuticos, tais como alumínio, gasolina aeronáutica, então não diferencia em nada de um avião”, alega.

Fonte: agencias

Próxima notícia

Dê sua opinião: