Nelito Marques e o ano bissexto

Neste ano, Nelito Marques poderia celebrar o seu 75º aniversário


Nelito Marques

Nelito Marques Foto: Arquivo pessoal

Este é um ano bissexto, aquele que se dá a cada período de quatro anos, com um dia a mais em fevereiro. Desse modo, pode-se dizer como mais raras as pessoas nascidas no dia 29 de fevereiro, data acrescentada ao calendário para que o ano tenha 366 e não 365 dias.  É possível que cada um de nós conheça ao menos uma pessoa nessa condição de ter uma data certa para o aniversário somente a cada quatro anos. Eu conheci uma pessoa em especial com aniversários bissextos, o jornalista Nelito Marques.

Neste ano, Nelito Marques poderia celebrar o seu 75º aniversário, embora pela condição de um nascido em ano bissexo, somente tenha havido 19 dias 29 de fevereiro entre seu nascimento e a data atual.  Mas ele viveu em festas e, ainda que impedido pelo calendário de ter um dia certo para uma festa anual de aniversário.

A natureza da escolha profissional de Nelito, a de reportar a vida social de sua cidade, fez dele um conviva habitual de festas. Talvez um modo que o destino encontrou de dar a ele a chance de ter mais que uma celebração quatrienal da data de nascimento.

Assim, Nelito Marques fez-se um colunista social ou cronista social, ao lado de outros notáveis profissionais dessa área em nossa cidade, como Paulo José, o decano dessa atividade, Elvira Raulino, que foi também uma pioneira feminina no rádio, jornal e TV, Mauro Júnior e Climério Lima. E ainda mais recentemente, de Rivanildo Feitosa e Péricles Mendel.

Como outros colegas dessa atividade profissional que favorece hoje se conhecer como era o lazer e a diversão em tempos pretéritos, Nelito fez-se organizador de eventos – o que dá a ele e seus companheiros de tempo, trabalho e jornadas a condição também de profissionais de relações públicas.

Como organizador do concurso miss Piauí, concorreu para que a beleza feminina ganhasse tons de maior destaque dentro e fora do estado. O concurso sempre poderá e deverá ser lembrado pela participação de Nelito em fazê-lo realizar, ainda que em condições nem sempre as mais adequadas, ou seja, o evento por longo tempo existiu muito mais em face da tenacidade e esforços pessoais do jornalista.

Agora, Nelito Marques é história e saudade. Deve sua memória seguir e isso me faz lembrar que ele morreu também em um dia 29, mas de setembro do ano passado. Lá se vão cinco meses de sua partida neste 29 de fevereiro que só se repetirá em 2024.

Álvaro Fernando da Rocha Mota é advogado. Procurador do Estado. Ex-Presidente da OAB-PI. Mestre em Direito pela UFPE. Presidente do Instituto dos Advogados Piauienses.

Próxima notícia

Dê sua opinião: