Marketing News

Aprender sobre investimento alternativo ajuda ter segurança na diversificação de carteira

Menos conhecido em comparação com as classes tradicionais, este tipo de ativo pode assegurar um bom retorno financeiro aos investidores.


Aprender sobre investimento

Aprender sobre investimento Foto: Imagem: Freepik


Investir no mercado financeiro requer conhecimento para fazer uma escolha assertiva sobre os produtos mais compatíveis com o perfil, o objetivo e a estratégia de cada investidor, de acordo com as regras da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e a orientação da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima). 


Pesquisar informações junto às fontes oficiais, realizar cursos e tirar dúvidas com especialistas da área são ações recomendadas tanto para quem deseja começar a investir, quanto para quem busca um novo ativo para diversificar a carteira com mais segurança e tranquilidade.


Os investimentos alternativos têm despertado cada vez mais o interesse dos investidores brasileiros. Dentro desta classe, os investimentos em empresas com alto potencial de crescimento vem ganhando destaque. Trata-se de uma categoria que reúne ativos como participação em empresas de capital fechado, como startups.


Mas por serem menos conhecidos do grande público, estudar para conhecer este mercado torna-se ainda mais necessário. É recomendável conhecer as características, os riscos e as oportunidades para obter bons resultados com essa modalidade. 

Características dos investimentos alternativos!

Os investimentos alternativos não são listados na Bolsa de Valores ou no mercado de balcão. Na prática, o investidor, por exemplo, financia um empreendimento ou torna-se sócio de uma empresa com grande potencial de crescimento. 

Esses ativos, por não serem listados em bolsa, têm menos liquidez que os tradicionais, ou seja, o investidor não consegue negociá-los todos os dias, como acontece com ações e títulos públicos…

É preciso estar preparado para fazer a melhor escolha, afinal, este tipo de operação é mais arriscado, quando comparado com as modalidades tradicionais. Mas uma vez que a operação seja bem sucedida, o retorno financeiro é maior.

Existem cursos sobre investimentos alternativos — em particular sobre como investir em empresas com potencial de crescimento – que preparam o investidor para essa nova tendência do mercado.

 cursos de venture capital que abordam os investimentos em empresas de capital fechado que estão em estágio inicial de desenvolvimento, como as startups, e cursos de private equity, direcionados para quem tem interesse em empresas que estão em estágio mais avançado.

Onde buscar informações!

Pela internet é possível estudar sobre o universo dos investimentos. Há opções de cursos gratuitos e pagos, oferecidos por várias instituições, que atendem os diferentes níveis de conhecimento sobre o assunto. 

Para quem deseja ingressar na área, o Banco Central (BC) e a Escola de Administração Fazendária (Esaf) oferecem um curso on-line gratuito sobre gestão de finanças pessoais, assunto que é preciso ter domínio antes de tornar-se investidor.

Já a Fundação Getúlio Vargas (FGV) disponibiliza aulas para iniciantes que explicam sobre as características das diversas aplicações e a dinâmica de funcionamento de cada uma delas curso “Como fazer investimentos 1”.

Para quem deseja saber mais sobre o mercado financeiro, a Anbima oferece um curso específico sobre o assunto. Na página da associação também há outras capacitações que tratam de temas variados, como gestão de risco, produtos de renda fixa e renda variável, dentre outros. 

A B3 também tem uma página de conteúdos educativos sobre o mercado financeiro, a Bolsa de Valores e orientações sobre investimentos. Os cursos atendem tanto iniciantes quanto quem já possui algum conhecimento do mercado.

Para quem deseja saber mais sobre investimentos alternativos, o Grupo Solum também oferece conteúdos gratuitos e cursos que permitem conhecer e aprofundar o aprendizado sobre como começar a investir nessa classe de ativos, aplicar em empresas de capital fechado, private equity e venture capital.

Próxima notícia

Dê sua opinião: