5 dicas para fazer uma campanha de financiamento coletivo decolar


campanha de financiamento coletivo decolar

campanha de financiamento coletivo decolar Foto: Imagem: Freepik.com

O financiamento coletivo, ou crowdfunding, é uma ferramenta para captação de recursos que vem ganhando cada vez mais espaço. Essa modalidade de financiamento faz uso do ambiente virtual para difundir uma ideia e conseguir apoiadores para causas diversas. 

Ter uma estratégia de marketing pode alavancar a campanha, fazendo com que atinja a meta definida. No entanto, essa não é a única ação para fazer uma campanha de financiamento coletivo decolar.

Para esclarecer como funciona essa lógica de financiamento, o portal do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) entrevistou dois brasileiros responsáveis por plataformas que já ajudaram vários projetos a sair do papel, Dorly Neto e Diego Reeberg. 

Eles explicam a diferença entre vaquinha e crowdfunding. De modo geral, a primeira tem como meta arrecadar dinheiro para uma realização de uma pessoa ou do grupo que contribui com ela, sendo que essa meta está geralmente relacionada ao consumo – como comprar uma geladeira para o escritório, um presente para um amigo, entre outros.

Já um projeto de financiamento coletivo possui um objetivo que extrapola o conceito de vaquinha, uma vez que propõe criações com retornos que não irão somente para um grupo específico, mas para a sociedade, como uma obra de arte, uma organização não governamental (ONG) ou uma nova empresa.

Vale ressaltar que qualquer projeto que tenha uma meta mínima de arrecadação definida, ofereça boas recompensas e consiga engajar uma rede de pessoas compatível com a demanda do projeto pode obter financiamento coletivo.

Para isso, existem diversos sites especializados em crowdfunding, em que é possível divulgar essas ideias. Para que elas possam decolar e bater a meta de arrecadação, é fundamental apostar em estratégias de divulgação. O site Universidade do Financiamento Coletivo dá dicas para iniciar e atingir o sucesso em campanhas de arrecadação. 

  1. Proposta de Engajamento!

Engajar as pessoas é essencial para o sucesso de uma campanha de financiamento coletivo. Esse processo começa antes da própria arrecadação.

Isso porque, ao produzir o conteúdo de uma campanha, é importante que o seu responsável defina detalhadamente qual impacto o projeto terá e porque as pessoas teriam interesse em apoiá-lo. Isso significa, portanto, traçar de que maneira a campanha pode gerar engajamento da rede onde será divulgada.

Aqui, a ideia principal é mostrar que existe interesse coletivo na proposta em questão e que ela não é para benefício próprio do seu criador. 

Para fazer isso eficientemente, a dica é elaborar um material conciso, claro e didático. Traduzir o que representa o projeto em poucos parágrafos é necessário para que outras pessoas tenham interesse em conhecê-lo e em compreender sobre o que se trata aquela campanha de crowdfunding. 

  1. Definição de metas!

Outra orientação para obter resultados satisfatórios com a campanha é traçar a meta financeira da arrecadação. 

Além de cobrir o orçamento do projeto, ela precisa considerar custos como os de produção dos materiais da campanha, como vídeo e imagens; de produção e envio de recompensas; taxa de serviço da integradora financeira; e taxa de serviço da plataforma escolhida. 

A orientação dos sites especializados, de modo geral, é que os responsáveis definam o valor mínimo necessário para viabilizar o projeto na sua versão mais simples como primeira meta. De forma prática, ter uma meta mínima reduz o risco de perder o dinheiro arrecadado. 

Em algumas plataformas é possível, ainda, estabelecer mais de uma meta a ser atingida na campanha. Nesses casos, à medida que o primeiro objetivo chega aos 100%, a plataforma automaticamente atualiza a régua de arrecadação para o valor da próxima meta.

  1. Mapeamento de rede

De maneira geral, os sites especializados em financiamento coletivo recomendam que seja feito um mapeamento de rede para a divulgação da campanha. Essa ação é fundamental, pois o processo de arrecadação evolui na proporção da divulgação feita. 

Para isso, é demandado esforço contínuo de mobilização de rede e é preciso estar preparado para esse trabalho. As plataformas ressaltam que as pessoas colaboram com um projeto de crowdfunding por motivos que variam, como ser amigo do realizador, já conhecer e acreditar no projeto ou ser simpatizante da causa. 

Por isso, é importante listar e entender quem são essas pessoas e quais os interesses desse público. Essa é uma maneira de definir melhor as recompensas que vão atrair os apoiadores e desenhar estratégias de comunicação eficientes.

  1. Capriche no vídeo de divulgação!

O vídeo é um conteúdo que merece atenção especial nas campanhas das plataformas de financiamento coletivo. Ele é considerado o material de divulgação mais importante da campanha, pois é por essa mídia que as pessoas podem entender o que será viabilizado com o projeto ou, até mesmo, ouvir falar pela primeira vez sobre o financiamento coletivo

A dica é fazer um vídeo curto (de 1 a 3 minutos), explicando o que é o projeto e o que exatamente é financiado. É válido, ainda, apresentar quem está por trás da iniciativa, esclarecer qual é a meta e como funciona a dinâmica do “tudo ou nada”, ou seja, se a campanha não alcançar a meta, o dinheiro é devolvido àqueles que colaboraram, além de mencionar as recompensas oferecidas.

Essas informações são valiosas, pois ajudam a converter as visitas na página em colaborações financeiras. 

  1. Lembre das recompensas!

A dinâmica de financiamento coletivo costuma contar com recompensas oferecidas aos apoiadores caso a meta seja batida. A atenção e o cuidado na elaboração desses “prêmios” precisa ser redobrada, já que as recompensas podem influenciar diretamente na decisão do quanto a pessoa vai investir no projeto.

Conforme informações da Universidade do Financiamento, é importante considerar que valores mais baixos permitem que mais perfis de pessoas colaborem (R$ 10 ou R$ 15, por exemplo); faixas entre R$ 30 e R$ 100 costumam ser escolhidas com frequência, então vale caprichar nessas opções. 

Outra dica é oferecer um custo-benefício justo e atrativo entre as faixas de colaboração, além de elaborar diversas opções de recompensas para o lançamento da campanha. 

Os níveis de recompensas geralmente são simbólicos, como um agradecimento criativo ou uma homenagem em vídeo, foto, e-mail ou carta – para valores mais acessíveis –; produto, como um brinde ou amostras do próprio produto que está sendo financiado na campanha; e experiência, que pode ser um jantar, passeio ou workshop.

Wagner santos

Wagner santos

Wagner santo é CEO da www.revistademarketing.com.br
Próxima notícia

Dê sua opinião: