Política

Wellington vai recorrer à Justiça para instalar porto seco em Teresina

Uma reunião com empresários na Fiepi discutiu as medidas para implantar o porto
Fonte: Paulo Pincel/CCom | Editor: Alinny Maria 09/04/2019 18:25
A reunião com empresários na Fiepi A reunião com empresários na FiepiFoto: Francisco Leal/CCOm

A instalação do Porto Seco de Teresina foi a principal pauta da reunião do governador do Piauí, Wellington Dias, na manhã desta terça-feira (09), no Edifício Albano Franco, a sede da Federação das Indústrias do Estado do Piauí (Fiepi), no bairro Redenção, em Teresina. Wellington Dias não descarta uma ação na Justiça para viabilizar a implantação do porto, que se arrasta há 20 anos.

"Com todos na mesa foi possível perceber as travas que existem e como caminhar. O Porto Seco é uma forma de facilitar o empreendedor para exportação e importação. Isso é essencial para a estabilidade dos preços e competitividade. Melhora nossa relação no mercado interno e externo. Acertamos aqui o caminho que vamos viabilizar, o estudo que trata da viabilidade do negócio, a viabilidade técnica, operacional e por meio da Fiepi, vamos estudar alternativas, mesmo que sejam por meio do caminho jurídico, para apresentar as soluções de uma autorização. Junto ao Congresso Nacional, vamos trabalhar na perspectiva de ter uma alteração na lei que possa ser o facilitador para Teresina, Piauí e Brasil", prometeu o governador Wellington Dias

“Há muito tempo os empresários do Piauí têm lutado por isso e esse foi o pontapé para que se resolva, ou via judicial ou de uma maneira que seja mais rápida, para que possamos facilitar a vida dessas pessoas, gerando emprego e impostos, que é o que todos nós precisamos no Piauí”, defendeu o presidente da Fiepi, Antonio José de Moraes Souza Filho, o Zé Filho.

“Vamos manter o diálogo com o grupo de empresários que está bastante interessado em agilizar a execução do Porto Seco e também com o governador, que está empenhado na questão. A Fiepi entrará como interlocutor para intermediar os interesses entre empresários e Governo do Estado”, o diretor de Assuntos Econômicos da Fiepi, ex-governador Freitas Neto.

Além dos secretários de Governo, Osmar Júnior; e de Fazenda, Rafael Fonteles, outros gestores estaduais e emrpesários também participaram da reunião.

O governador Wellington Dias com o presidente da Fiepi, Zé Filho
O governador Wellington Dias com o presidente da Fiepi, Zé Filho [Foto: Francisco Leal/Ccom]

O porto

Porto Seco são terminais de uso público, instalados em zona secundária, nas regiões de expressiva concentração de carga importada ou a exportar, onde são realizadas operações de controle aduaneiro, funcionando como ponto de recebimento, despacho e armazenagem de mercadorias de forma a dar mais operacionalidade a portos e aeroportos.

O Porto Seco de Teresina será instalado no Loteamento Industrial Polo Empresarial Sul, terreno localizado na altura do KM 11,4 da BR-316. O estado passa a ter um terminal alfandegado para melhorar todo o processo de importação e exportação. Entre as vantagens de sua instalação estão: o aumento da receita do Estado - já que as taxas que antes eram pagas nos portos vizinhos ficarão aqui, e a otimização do tempo - uma vez que para importar matéria-prima por meio de portos vizinhos leva-se até 120 dias e com o armazenamento desses produtos no Porto Seco de Teresina, o período será reduzido sensivelmente. Desta forma, o empresário pagará apenas pelo tempo de permanência dessa mercadoria em solo piauiense, representando uma economia expressiva para ele, além do aumento da produtividade.

Reunião na Fiepi
Reunião com a direção da Fiepi e empresários sobre a instalação do porto seco de Teresina [Foto: Francisco Leal/CCom]

Comentários

Apoio: