Política

Wellington diz que não é de fugir das responsabilidades

"A Assembleia cuida da Assembleia, mas não estou fugindo da responsabilidade e do debate"
Fonte: Paulo Pincel | Editor: Alliny Maria 14/01/2019 13:30
Plínio Clêrton, Regina Sousa e Wellington Dias Plínio Clêrton, Regina Sousa e Wellington DiasFoto: Jorge Bastos/CCom

O governador do Piauí, Wellington Dias, viaja de férias para Israel na quarta-feira (16), mas garante que chega antes da eleição na Assembleia Legislativa, marcada para 11h do dia 1º de fevereiro – uma sexta-feira. Aos críticos, que o acusaram de “fugir” do debate ao viajar para o exterior às vésperas do pleito no Legislativo, Wellington Dias rebateu: “não fujo às minhas responsabilidades”.

“A Assembleia cuida da Assembleia, mas não estou fugindo da responsabilidade e do debate. Até porque a eleição vai ser decidida mesmo nos dias 30, 31 e 1º. E nessa data já estarei aqui. Estarei sempre aberto ao diálogo, mas a decisão é da Assembleia. Estamos tratando da Mesa Diretora, que normalmente tem a participação de todos os partidos seja governo ou oposição. Eu torço, trabalho e acredito que vamos conseguir um entendimento”, crê.

O governador sustenta que são os 30 deputados que vão decidir quem vai presidir o Legislativo nos próximos dois anos. “Às vezes parece uma disputa de outro mundo, mas é apenas a eleição da Mesa Diretora. Tem dois candidatos que são da nossa base. Nossa governadora Regina Sousa vai está neste período com o mandato e vai tomar, com normalidade, todas as ações de governo. Ciro e Themístocles são dois homens maduros. São bem experientes e sabem que é apenas um momento próprio do parlamento e com muita maturidade vamos superar tudo isso pelo diálogo”, aposta.

Violência

Wellington Dias explica que havia uma reunião de governadores do Nordeste agendada para janeiro, mas a crise na segurança do Ceará adiou o encontro para uma outra oportunidade. “Tínhamos uma reunião agendada nesse período com os governadores do Nordeste, mas foi adiada devido esse conflito no Ceará. Graças à Deus, lá tudo se caminha para uma vitória da sociedade contra o crime”, destacou.

Terra Santa

Sobre a viagem, Wellington Dias admite que a insistência da primeira-dama, deputada federal Rejane Dias (PT), e da filha Iasmin, o convenceram a viajar para a “terra santa”. “A minha esposa Rejane e a minha filha já insistiam da importância de irmos juntos para Israel e Jordânia, que é o roteiro da Terra Santa. Como cristão também sempre tive muita curiosidade e desejo de fazer a viagem. É pessoal”, revelou Wellington Dias.

Comentários

Apoio: