Política

Wellington Dias visita obras da cadeia pública de Altos

A inspeção das obras acontece nesta segunda-feira (19) às 9h
Fonte: CCom | Editor: Paulo Pincel 18/03/2018 12:13
As obras da cadeia pública de Altos As obras da cadeia pública de AltosFoto: CCom

O governador do Piauí, Wellington Dias, e o secretário de Estado da Justiça, Daniel Oliveira, visitam, às 9h desta segunda-feira (19), as obras da cadeia pública de Altos. Com 70% dos serviços executados, a estrutura deverá ser entregue em junho deste ano. A previsão é do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e da Secretaria de Estado da Justiça (Sejus) que realizam a obra por meio de convênio entre Estado e União.

Com uma área de 5,5 mil metros quadrados localizada ao lado da Colônia Agrícola Major César Oliveira, a 20 km de Teresina, a cadeia tem capacidade para 603 detentos que serão distribuídos em três pavilhões. De acordo com levantamento da Caixa Econômica Federal, órgão financiador da obra, o andamento da execução é caracterizado como normal e a estrutura deverá ser concluída nos próximos meses.

Para o Departamento de Engenharia da Sejus, o grande diferencial da cadeia pública são os módulos isolados para os agentes penitenciários. Toda a unidade terá monitoramento por câmeras eletrônicas. A estrutura do muro principal da cadeia, feito em concreto, atende as novas diretrizes da arquitetura penal.

Dos R$ 17,9 milhões previstos para a construção da Cadeia Pública de Altos, já foram executados R$ 10,8 milhões, atestados pela última medição do Ministério da Justiça feita em fevereiro deste ano. Atualmente, a etapa da obra compreende a parte de superestrutura de alvenaria de elevação, instalações hidro sanitárias, revestimentos e cobertura. A subestação elétrica da unidade já está pré-instalada.

Humanização

A Cadeia Pública de Altos seguirá as diretrizes adotadas pela Secretaria da Justiça no tocante à política de humanização do sistema penitenciário, com a instalação de unidade básica de saúde, implantação de módulos de educação, oficinas de capacitação de detentos e outros serviços. O tratamento de dependentes químicos é outra destaque da unidade que terá um módulo específico para este tipo de atendimento.

Geração de emprego

A obra possui atualmente cerca de cento e trinta e oito operários, distribuídos em várias frentes de serviço como de superestrutura, alvenaria de elevação, ferragem, carpintaria e instalação de esquadrias. De acordo com levantamento da Caixa, a obra já gerou mais de 3 mil empregos diretos e indiretos desde que foi iniciada.

Comentários