Geral

Voluntários fazem festa para crianças internadas no HUT

Teve lanche, teatro de bonecos, distribuição de brinquedos e muito mais
Fonte: HUT | Editor: Da Redação 13/10/2018 08:03
Crianças do HUT ganham festa no Dia das Crianças Crianças do HUT ganham festa no Dia das CriançasFoto: Divulgação

As crianças internadas na Clínica Pediátrica do Hospital de Urgência de Teresina (HUT) comemoram o Dia das Crianças, nessa sexta-feira, 12, com grandes surpresas. Voluntários de diversas instituições e do próprio HUT realizaram festa, teatro de bonecos, pinturas de rostos, distribuição de brinquedos e lanches. A voluntária Lucilene Alves, disse que já distribui brinquedos há dez anos e que se sente muito bem em ver a felicidade estampada no rosto das crianças.

“É muito gratificante poder proporcionar um momento de felicidade para as crianças que estão internadas. Recebi muitos milagres de Deus e faço isso também como forma de agradecimento. Hoje tenho um grupo que me acompanha e me ajuda a tornar esse dia especial para crianças internadas”, destacou Lucilene.

Lianaira Fernandes, mãe do pequeno M. V. F. S., de três anos, participou de todas as atividades com o filho e disse que foram momentos que a fez esquecer que estava internada em um hospital. “Gostei muito das festas e o melhor de tudo foi ver meu filho se divertindo. Ele foi atropelado por um ônibus e precisou fazer uma cirurgia na perna. Estou muito feliz por ele estar bem”, comentou a mãe.

Já Ana Paula Vasconcelos, mãe do A. F.V., de um ano de onze meses, da cidade de Timon, relatou que o filho teve queimaduras graves nos dois pés, após pisar em brasa. Para ela as atividades do Dia das Crianças no HUT são importantes para distraí-las e deixar o ambiente mais alegre. “Gostei muito das festinhas e acho que assim a gente esquece um pouco que está internada com as nossas crianças”.

De acordo com Manoela Coutinho, gerente da pediatria, atividades como essas humanizam o atendimento e proporcionam uma maior interação entre as equipes de saúde, acompanhantes e pacientes. “Quando a gente consegue interagir melhor com nossos pacientes e estabelecer laços de confiança e carinho o tratamento flui melhor, contribuindo para acelerar o processo de recuperação. Com isso, as crianças se recuperam mais rápido e passam menos tempo internadas”, explicou Manoela.

Comentários