Polícia

Vídeo flagra ação da gangue que ataca idosos e ameaça servidores do INSS no Centro de Teresina

O flagrante ocorreu na porta da sede do INSS, no cruzamento das ruas Rui Barbosa com Areolino de Abreu
Fonte: Portal Piauí Hoje | Editor: Da Redação 18/02/2019 09:58
Gangue se reúne na frente do INSS para atacar vítimas Gangue se reúne na frente do INSS para atacar vítimasFoto: Divulgação

O portal Piauí Hoje divulgou com exclusividade, nesse domingo (17), imagens de uma gangue de ‘lanceiros ’ que age em bando e ataca idosos e mulheres indefesas no Centro de Teresina.

A gangue realiza uma série de ataques nos pontos mais movimentados do Centro de Teresina. O flagrante foi feito em frente à sede do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), situada no cruzamento das ruas Rui Barbosa com Areolino de Abreu. Este é um dos principais pontos de atuação do grupo.

Os vídeos abaixo foram gravados de dentro do prédio do INSS e mostra como os lanceiros atuam no local de grande movimentação. O grupo se divide e parte dele cerca e distrai as pessoas. Enquanto uma finge esbarrar-se na vítima e pede desculpas, o outro lanceiro pega algum pertence da vítima sem que ela perceba. A ação é rápida e dificilmente notada pelas vítimas. Em outro vídeo é possível ver o momento em que a mulher atacou até mesmo um senhor que vende frutas na frente do INSS. Ela teria levado o valor de R$ 250.

Pela habilidade é possível notar que o grupo já faz isso há bastante tempo. Por exemplo, se alguém percebe a atuação da gangue e grita para avisar, os membros rapidamente se dispersam e fingem que não sabem o que está acontecendo. Eles não usam arma e logo após subtrair o objeto da vítima, os lanceiros já o entregam de imediato aos líderes do grupo. Assim, mesmo que visto por alguém no ato do furto, rapidamente eles se livram do produto furtado, dificultado que o crime seja comprovado. O outro membro que recebe o produto, sai do local sem ser percebido.

POLÍCIA MUDA - Até agora nenhuma autoridade policial e da Secretaria de Segurança se pronunciou sobre maus este caso. Até parece que a situação nada tem a ver com as polícias ou que essas ocorrências são em outro planeta. A atuação da Polícia Civil tem sido bastante criticada pela população. São poucas as ocorrências registradas em BO que são investigadas. É como se não existisse mais delegados, agentes, investigadores e peritos. Até parece que as delegacias sumiram após a proibição de manter preses nelas.

Nesta segunda-feira, um policial da delegacia que deve cuidar da segurança do Centro de Teresina, ouvido pelo portal Piauí Hoje sobre as gangues que estão aterrorizando pessoas naquela área, limitou-se a dizer que não poderia fazer nada porque não havia provas contra os membros das gangues. A pergunta é: descobrir as provas não é papel da polícia? E mais: estão querendo que as vítimas prendam os bandidos ou que eles se entreguem e ainda levem as provas?

ENTENDA O CASO - Neste domingo o portal Piauí Hoje (www.piauihoje.com) publicou a denúncia. Confira a matéria no link a seguir:

http://piauihoje.com/noticias/gang-ataca-idosos-e-mulheres-e-ameaca-servidores-na-porta-do-inss-policias-parecem-nao-saber-de-nada/

Servidores do INSS contam que já perceberam a atuação do grupo e inclusive tentaram impedir, mas foram ameaçados. A líder do grupo é supostamente a mulher de cabelo curto com as mãos na cintura (foto abaixo). De acordo com os servidores, ela já chegou a entrar na recepção do INSS para ameaçar uma servidora que avistou o grupo atacando uma gestante.

A servidora, que tem medo de se identificar por causa das ameaças dos lanceiros, disse que os lanceiros já ameaçaram esfaqueá-la para que ela deixasse de atrapalhar a ação do grupo.

A
Mambros da gangue se reúne na frente do INSS para planejar ataque às vítimas Foto: Arquivo do Portal

POLÍCIA SEM AÇÃO -
Sem providências, lanceiros seguem com ataques. Sabe-se que há muito tempo essa pratica criminosa é comum no Centro da capital. Até o momento não foi realizada nenhuma ação policial com o objetivo de identificar e prender a quadrilha.Os lanceiros se sentem seguros a praticarem os furtos na porta do INSS porque sabem que não há impunidade. Lá eles seguem com os ataques e o ponto é escolhido para selecionar qual vítima atacar.

Comentários