Política

Vereadores pedem a interdição imediata do HUT

Fonte: Da Redação | Editor: Da Redação 05/05/2017 08:43
Vereadores fizeram vistoria no HUT Vereadores fizeram vistoria no HUTFoto: Divulgação

O vereador Edilberto Borges, Dudu (PT), esteve nesta quinta-feira (04) realizando uma inspeção no Hospital de Urgência de Teresina (HUT), depois de receber denúncia de servidores sobre a grave situação vivida naquele estabelecimento.

Os funcionários denunciaram que o hospital não está salvado vidas e sim colocando em risco a saúde dos pacientes, dos familiares desses e dos servidores. Após constatar in loco as irregularidades, Dudu informou que vai notificar a Prefeitura de Teresina, Fundação Municipal de Saúde, Ministério Público, Governo do Estado do Piauí e Secretaria Estadual de Saúde para seja decretada a intervenção no HUT até que esses problemas sejam resolvidos..

“Você ter sutura no HUT onde não se tem anestesia, não tem glicose, máscara, álcool, luva, não tem material esterilizado”, reclamou o petista. O próprio Departamento Nacional de Auditoria do Sistema Único de Saúde fez uma denúncia contra o HUT, no último relatório, onde apontou que a equipe multidisciplinar de combate a infecção hospitalar era deficitária.

Percorrendo o hospital, além da central de material esterilizado, farmácia, leitos e enfermarias, o vereador encontrou pacientes nos corredores aguardando atendimento. Os servidores também denunciaram a falta de materiais de higiene e de medicamentos. A paciente de iniciais A.S., que está acompanhado um filho internado há três dias, denunciou que a cirurgia foi adiada de ontem (4) para hoje pela falta de material no centro cirúrgico. “Ele ficou de jejum até 14h e no momento de realizar a cirurgia o médico disse que não poderia fazer porque não tinha material”, disse a mãe chateada.

De acordo com um representante do Sindicato dos Enfermeiros Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do Estado do Piauí (Senatepi), que não quis se identificar, o HUT tem uma demanda muito grande para os profissionais de enfermagem, falta de materiais para trabalhar e ausência de condições para trabalhar com pacientes de infecções grandes e contagiosas. Além disso, o profissional alegou uma queda da qualidade de assistência por conta da redução de profissionais, principalmente, técnico e auxiliares nas clínicas.

“Eles estão reduzindo com o argumento de que o HUT não tem essa necessidade e desde quando fundou, ele nunca teve a quantidade suficiente de trabalhadores. E agora com a justificativa de retirar serviço prestado e segundo turno, eles estão fazendo esse remanejamento prejudicando a assistência”, criticou o profissional da enfermagem.

Comentários