Política

Vereador Venâncio propõe aulas do Enem em libras

Cerca de 22 mil pessoas apresentam algum tipo de deficiência auditiva em Teresina
Fonte: Assessorias | Editor: Paulo Pincel 05/10/2017 18:32
Vereador Venâncio Cardoso (PP) Vereador Venâncio Cardoso (PP)Foto: Assessoria

Cerca de 22 mil pessoas apresentam algum tipo de deficiência auditiva em Teresina. Muitas destas pessoas acabam tendo problemas de comunicação e, consequentemente, e qualificação. Pensando nisso, o vereador Venâncio Cardoso (PP) protocolou, esta semana, um Projeto de Lei (PL) que visa atender estudantes com deficiência auditiva nos cursinhos preparatórios.

De acordo com o Projeto de Lei, as instituições de ensino que preparam alunos para as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) ou para o ingresso em outras faculdades, passariam a oferecer obrigatoriamente aulas que atendessem pessoas com esse tipo de deficiência.

Além disso, caso o PL seja aprovado, o atendimento deverá ser realizado através de tradução simultânea para a Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), por profissionais habilitados ou outro meio audiovisual que permita o acompanhamento das aulas.

Para o vereador Venâncio, o objetivo da lei é melhorar o acesso ao que é visto em sala de aula para que as pessoas com deficiência auditiva tenham as mesmas oportunidades que os demais. “A escola é um lugar para buscar e multiplicar conhecimento. Nada mais justo que ela se adapte para abarcar todos os tipos de alunos. Esta Lei seria uma forma de tornar o acesso à aula mais diversificado, absorvendo pessoas que precisam de uma metodologia diferente para aprender”, explicou.

. Por conta dessa questão muitas destas pessoas acabam tendo problemas em se comunicar e consequentemente em se qualificar. Pensando nisso, o vereador Venâncio Cardoso (PP) protocolou, esta semana, um Projeto de Lei (PL) que visa atender estudantes com deficiência auditiva nos cursinhos preparatórios.

De acordo com o Projeto de Lei, as instituições de ensino que preparam alunos para as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) ou para o ingresso em outras faculdades, passariam a oferecer obrigatoriamente aulas que atendessem pessoas com esse tipo de deficiência.

Além disso, caso o PL seja aprovado, o atendimento deverá ser realizado através de tradução simultânea para a Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS), por profissionais habilitados ou outro meio audiovisual que permita o acompanhamento das aulas.

Para o vereador Venâncio, o objetivo da lei é melhorar o acesso ao que é visto em sala de aula para que as pessoas com deficiência auditiva tenham as mesmas oportunidades que os demais. “A escola é um lugar para buscar e multiplicar conhecimento. Nada mais justo que ela se adapte para abarcar todos os tipos de alunos. Esta Lei seria uma forma de tornar o acesso à aula mais diversificado, absorvendo pessoas que precisam de uma metodologia diferente para aprender”, explicou.

Comentários