Política

Vereador desafia deputado a lançar candidatura a prefeito

"Se ele pensa em fortalecer o partido, eu o desafio a se lançar candidato a prefeito"
Fonte: Paulo Pincel 25/04/2019 17:50
Convenção do Solidariedade Convenção do SolidariedadeFoto: PAULO PINCEL/PH

Afirmando que as divergências do passado devem ser esquecidas em nome do crescimento do partido, o vereador Major Paulo Roberto desafiou o agora presidente do Solidariedade no Piauí, deputado estadual Evaldo Gomes, a provar que não pretende 'vender' a sigla para a Prefeitura de Teresina. O desafio proposto a Evaldo é o lançamento de candidatura própria a prefeito de Teresina. A deputada federal Marina ou a do próprio Evaldo.

Uma candidatura pouco provável, já que Evaldo Gomes deve compor a base de Firmino Filho na Câmara Municipal de Teresina. O deputado inclusive tem atuado como um "porta-voz" de Firmino Filho no Plenário da Assembleia Legislativa. As críticas dos petistas à gestão tucanas são respondidas por Evaldo. Firmino inclusive esteve na convenção do Solidariedade, no Plenarinho da Assembleia Legislativa, por volta das 13h30 desta quinta-feira.

Reação

O desafio aconteceu ainda durante a convenção que elegeu Evaldo Gomes, da qual participou o presidente nacional do Solidariedade, Paulinho da Força.

“Lembro da frase dita pelo deputado Evaldo de que não está vendendo o partido. Portanto, se ele pensa assim realmente, eu o desafio a se lançar candidato a prefeito de Teresina. Ou lançar a deputada Marina. Mas caso nenhum dos dois aceite, eu vou para o sacrifício de não ir para minha reeleição de vereador, praticamente certa, para disputar a Prefeitura. Se o deputado me der a legenda eu concorro a Prefeitura de Teresina", avisou o Major Paulo Roberto.

Desafetos

As farpas entre Evaldo Gomes e Paulo Roberto vem desde os tempos da CMEIE (Comissão Municipal Expedidora de Identidade Estudantil). Na época, Paulo Roberto denunciou o uso político da instituição.

Evaldo Gomes sequer convidou o vereador para a convenção. Ainda assim, Paulo Roberto apareceu. E roubou a cena ao propor o lançamento de candidatura própria do Solidariedade em Teresina nas eleições de 2020.

"Ele não me convidou, sequer chamaram os vereadores para compor a Mesa, mas, quero acreditar que não foi retaliação. Desde que concorri pela primeira vez, sempre fui um dos vereadores mais bem votados de Teresina. Portanto, me considero uma liderança importante”, avaliou o vereador, fugindo da polêmica.

Comentários