Educação

Uespi adere a projeto do Ministério Público sobre Lei Maria da Penha

Com a parceria, alunos de instituições superiores participarão de atividades voltadas ao combate à violência contra a mulher.
Fonte: CCOM | Editor: Redação 22/02/2017 12:37
UESPI UESPIFoto: Reprodução

A Universidade Estadual do Piauí (Uespi) e o Ministério Público do Estado (MPE-PI) irão somar forças em mais uma parceria. Trata-se do Laboratório Maria da Penha, iniciativa do MP-PI que contempla, além da Uespi, outras instituições de ensino superior, e busca dar aos estudantes selecionados uma capacitação de seis meses, que inclui visitas a órgãos relacionados, ações e realização de relatório.

Cada instituição tem direito a 15 vagas, a serem preenchidas por alunos de cursos como Direito, Psicologia, Pedagogia, entre outros. A primeira ação do MP na Uespi será uma roda de conversa, explicando como se dará o projeto. Após isso, os alunos poderão se inscrever por meio do edital a ser publicado. Um dos trabalhos a ser desenvolvidos no laboratório serão as visitas à rede de atendimento, que inclui delegacias, juizados, Cras, Creas e outros órgãos.

“Nessa gestão que fazemos agora, temos ações que valorizam políticas voltadas para a sociedade, e temos fortalecido muito a questão da extensão porque é a via mais fácil de dialogar com a sociedade. Temos tido várias experiências, a ponto de hoje termos vários projetos vinculados à Prex, e a partir de uma provocação feita pela professora Esther Castelo Branco, vimos que o bom seria que tivéssemos um Núcleo de Direitos Humanos, para que todas essas políticas se encontrassem nesse ambiente”, afirmou o reitor Nouga Cardoso Batista. A previsão é de que o núcleo seja inaugurado em dois meses.

De acordo com o promotor Francisco de Jesus Lima, coordenador do Núcleo das Promotorias de Justiça de Defesa da Mulher Vitima de Violência Doméstica e Familiar (Nupevid), a Uespi não somente terá seus alunos dentro do projeto, como também será um lugar onde as mulheres podem ser atendidas inicialmente.

“O laboratório é um projeto do MP que visa enfrentar a violência contra a mulher em todos os espaços, e dentro da própria Uespi trabalharemos os acadêmicos nesse enfrentamento à violência. Os alunos irão conhecer toda a Lei Maria da Penha, visitar a rede de atendimento, produzir relatórios e ser os multiplicadores das ações. Nosso objetivo é chegar em todo o Piauí, trabalhando a violência contra a mulher nos espaços acadêmicos, nas escolas, na periferia, e uma grande vantagem é que a Uespi vai poder também atender essa mulher e encaminhar a uma rede de atendimento”, destaca o promotor.

“É mais uma grande parceria com o Ministério Público, e essa vem de forma exemplar porque vem discutir pilares importantes da aplicação da Lei Maria da Penha. A Uespi, como instituição que tem cursos de Direito bem avaliados, além de outros cursos que tem interfaces importantes com a temática, e que é uma instância de formação de pessoas, abraça e agradece ao MP, na pessoa do promotor Francisco de Jesus. Acreditamos que, em breve, daremos um retorno importante para sociedade com as ações ligadas ao laboratório”, finalizou a vice-reitora da Uespi, Bárbara Melo.

Comentários

Matérias Relacionadas