Política Nacional

Temer é denunciado por obstrução da justiça e organização criminosa

Fonte: Folha/Agências | Editor: Paulo Pincel 14/09/2017 10:31
Janot, Cármen Lúcia e Temer Janot, Cármen Lúcia e TemerFoto: Reprodução

O presidente Michel Temer foi acusado pelos crimes de organização criminosa e obstrução de Justiça na nova denúncia a ser encaminhada até o final da tarde desta quinta-feira (14) ao Supremo Tribunal Federal pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A denúncia, que tem 200 páginas, é baseada nas delações de executivos da JBS e do corretor de valores Lúcio Funaro, considerado operador do PMDB nos esquemas de corrupção.

Essa é a segunda denúncia a ser oferecida por Janot contra o presidente. A anterior, por corrupção, feita a partir das delações de executivos da J&F, foi rejeitada pelos aliados de Temer na Câmara.

Temer é acusado de obstrução da Justiça por ter avalizado, no entendimento de Janot, o empresário Joesley Batista a comprar o silêncio de Funaro e do ex-deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Em relação à denúncia de crime de organização criminosa, Temer é acusado de participação no chamado “quadrilhão” do PMDB na Câmara.

Michel Temer nega todas as acusações. O presidente alega que a denúncia é perseguição política do procurador-geral da República. Ontem o Supremo rejeitou, por unanimidade, o pedido de suspeição de Janot apresentado pela defesa do presidente.

Se o STF acatar a denúncia, caberá à Câmara dos Deputados autorizar o julgamento de Temer pelo STF. São necessários os votos de 342 deputados para que o processo seja aberto. Caso contrário, a investigação só começa depois que Temer deixar a Presidência.

Comentários