Esportes

Técnico poupou Salah por medo de nova lesão

Héctor Cúper diz que, após treino, chegou a ter certeza de que astro poderia pegar o Uruguai, mas exame levantou chance de agravar problema no ombro
Fonte: globoesporte.com | Editor: Redação 15/06/2018 14:10
Salah SalahFoto: Reprodução

Alvo da atenção de muitos espectadores da Copa do Mundo, Salah passou os 90 minutos do duelo entre Egito e Uruguai no banco de reservas, decepcionando os torcedores egípcios, que viram seu time ser derrotado por 1 a 0. Após a partida, naturalmente, o técnico Héctor Cúper foi questionado sobre o motivo que o levou a não colocar o astro em campo nem mesmo na etapa final - e o comandante revelou o temor por uma nova lesão.

- Tivemos uma certeza ao ver o treinamento, e, depois do treino, fizemos uma avaliação mais profunda. Ficaram dúvidas do que aconteceria se tivesse uma queda ou ação similar como a que causou a lesão. Como havia uma porcentagem de possibilidade de produzir uma lesão, decidimos não arriscá-lo, sabendo que poderíamos contar com ele com segurança nos jogos contra a Rússia e Arábia Saudita - explicou Cúper, em entrevista coletiva.

Ao ser questionado se Salah poderia ter mudado o jogo - que esteve empatado até os 44 minutos do segundo tempo - o técnico tentou tirar o peso sobre o atacante do Liverpool e disse que o Egito precisa ter um bom time, apontando que "não dá para saber" se o resultado seria diferente com o craque em campo. Entretanto, Cúper mostrou otimismo em contar com seu camisa 10 diante da Rússia, na próxima terça-feira, em São Petersburgo, às 15h (de Brasília).

- Muito provável que possa jogar. Esta partida (contra o Uruguai) não jogou porque tínhamos margem de perigo de que pudesse acontecer algo, mas para o próximo jogo, acho que vai estar bem - disse.

O comandante do time africano foi questionado em algumas oportunidades sobre sua estratégia de jogo, com jornalistas egípcios apontando que o time adotou um plano defensivo. O argentino rebateu, alegando que buscou uma forma de ter mais espaço para criar jogadas ofensivas e admitiu que até poderia ter traçado uma estratégia mais ousada, frisando que poderia "ter sido pior ou ter ganho o jogo".

- Depois do jogo, as análises e respostas são mais fáceis. Tivemos que enfrentar um adversário com muitos bons jogadores, e buscamos espaço. O Uruguai teve mais oportunidades de gol. Tivemos chances de definir, mas não conseguimos pela questão do to que final.

Confira outros trechos da entrevista de Cúper:

Respondendo às críticas sobre a defesa

- Acredito que temos o que temos, e dentro do que temos, tentamos fazer o melhor possível. Acho que temos atacantes, jogadores para fazer um bom Mundial. Se nos compararmos com times de primeiro nível... Hoje vimos um time que tem jogadores de primeiro nível. Peço que tenham noção os jornalistas, que querem que ataquemos mais. Hoje jogamos bem, acho que olhando o que há na frente, houve coisas boas. Não é porque perdemos que não serviu para nada. O time pode dar algo mais, e podem achar que o treinador pode ter se equivocado na escalação, podem ter opinião. Acho que fizemos um grande jogo contra um grande rival. Levamos um gol de bola parada. Demos tudo que poderíamos dar. Os atacante são os que temos, os jogadores são os que temos. E com eles temos que tentar fazer o melhor possível.

Jejum dos atletas no Ramadã

- Nós respeitamos o Ramadã. É um pouco complicado. A preparação tentamos fazer com tudo que significa o jejum, jogamos jogos amistosos jejuando. Os jogadores estão adaptados, acostumados, e acho que isso não é desculpa para um jogo como hoje. Acho que no dia anterior todo mundo descansou porque sabíamos que tinha o jogo à frente.

Tentou dar o campo para o Uruguai?

- Talvez alguns achem que deveríamos ter jogado no contra-ataque, roubar a bola no ataque. Acho que nos faltou chegar à área. Contabilizamos menos de quatro ou cinco jogadas em que faltou o toque final, e poderíamos ter feito o gol. Também é certo que o Uruguai também foi mais contundente na defesa, também criou chances de gol bem claras. Acho que fizemos um bom jogo, apostamos nos últimos 20 minutos para tentar atingí-los, mas nos faltou.

Quando vamos parar com os problemas de cruzamentos?

- Contra Portugal cometemos erros, mas não quer dizer que o time tenha deficiência defensiva no jogo aéreo. Os rivais também têm jogadores importantes na bola parada. Tanto Portugal como Uruguai têm jogadores que sobem bem, têm bom jogo aéreo. Eles escolhem um caminho. Em dois ou três jogos pode não ter funcionado, mas não tiro o mérito do rival, pois às vezes parece que somos a Alemanha, e os outros (risos). Temos os jogadores que temos. Temos que melhorar o nível de preparação.

Jogo contra a Rússia

- Vamos tentar a partir desta noite preparar o jogo contra a Rússia, ver as coisas boas e ruins da Rússia. Vamos analisar primeiro o jogo que jogamos. De todas as formas, sempre há chances de ganhar. Acho que nenhum time e nenhum jogador entra em campo para não ganhar. E isso é uma competição, e logo veremos quem é melhor.

Comentários