Geral

Solteiros ou divorciados são os que mais se suicidam em Teresina

alarmante média teresina suicidios
Fonte: acessepiaui 25/09/2012 14:13 - Atualizado em 27/10/2016 14:04
Pessoas do sexo masculino, entre 20 e 39 anos, solteiros e divorciados: esse é um perfil simples da parcela da população teresinense que mais comete suicídio. Ao todo, uma média de 56 suicídios por ano são registrados na capital do Piauí. O tema está sendo discutido em dois dias do II Fórum de Sensibilização do Suicídio, realizado pela Fundação Municipal de Saúde, em Teresina.


Segundo o coordenador da Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis, da FMS, Rogers Pires, os dados apontam para um número crescente de pessoas que tiram a própria vida em Teresina. E este não é o maior problema. Os números mostrados são sub-notificados, ou seja, nem todos os casos de suicídio ou tentativa de suicídio são registrados, o que dificulta para os órgãos um planejamento para prevenção dos casos.
- As instituições não estão estruturadas para o registro da tentativa e do suicídio em si. Essa é a nossa função, capacitar as instituições para ela solidificar essa notificação e traçar uma política pública para prevenção de suicídio; afirma Rogers.
Em palestra no evento, o representante da Associação Brasileira de Prevenção do Suicídio, Humberto Correa, conta que em todo o Brasil o tema ainda é tratado como um tabu,e tenta sensibilizar os órgãos de saúde para organizar políticas públicas de prevenção aos suicídios. Em todo o Brasil, por ano cerca de 10 mil pessoas morrem vítimas de suicídio, sendo que estes dados também são sub-notificados. Um outro fator, é que nos últimos 20 anos o número de casos de suicídio entre jovens aumentou.
- Apesar disso o Brasil ainda tem uma das menores taxas do mundo, se comparada com outros países.Ainda faltam políticas públicas para tratar do tema, que é um verdadeiro tabu na sociedade brasileira; destaca Humberto.
O fórum acontece no Centro de Formação Odilon Nunes e vai até esta terça (25). O encontro é uma oportunidade para os profissionais de saúde tratarem sobre os conceitos, indicadores epidemiológicos e condutas para a prevenção do suicídio no município.

Comentários

Matérias Relacionadas